Banca de QUALIFICAÇÃO: FÁBIO CÉSAR MIRANDA DE OLIVEIRA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : FÁBIO CÉSAR MIRANDA DE OLIVEIRA
DATA : 27/03/2017
HORA: 08:30
LOCAL: Laboratório de Tribologia - NTI/UFRN
TÍTULO:

ANÁLISE ESTOCÁSTICA DO MATERIAL PARTICULADO EMITIDO POR MOTOR DIESEL


PALAVRAS-CHAVES:

Material particulado, Cadeia de Markov, Biodiesel, Debris.


PÁGINAS: 62
RESUMO:

As emissões geradas por motores do ciclo diesel contribuem com o aumento do efeito estufa, da chuva ácida, doenças pulmonares, entre outros. Materiais particulados inferiores a 10 e 2,5 μm, PM10 e PM2,5, respectivamente; emitidos por motores diesel têm sido o motivo do crescente endurecimento da legislação ambiental nas grandes metrópoles em todo o mundo. A norma EURO 6, vigente na Europa, e PROCONVE P7, no Brasil, regulamentam a taxa de emissão de poluentes a fim de reduzir continuamente os danos ambientais causados por motores de combustão interna. Uma das alternativas para atingir os limites estabelecidos é a utilização do biodiesel. As características tribológicas da origem e do comportamento do PM são de fundamental importância na prevenção e controle dos problemas associados a emissões produzidas na queima do diesel. Nesse sentido, variáveis randômicas como a morfologia e as dimensões dos PMs podem ser caracterizadas segundo um processo estocástico com perda de memória, uma cadeia de Markov. Esse trabalho investigou o material particulado emitido por dois motores do ciclo diesel: o primeiro utilizando B6 e o segundo B6 microemulsionado com tensoativo e água. Utilizou-se uma bancada dinamométrica acoplada a um motor e o material particulado foi coletado utilizando um novo dispositivo de captura de partículas. As coletas foram feitas a cada 20 horas dentro de um total de 140 horas, não contínuas, de funcionamento para cada combustível. Posteriormente, realizou-se a análise morfológica das partículas através de microscopia eletrônica de varredura (MEV) e microanálise química por espectroscopia por energia dispersiva de raio-x (EDS). Foram constatados debris esféricos, chunks, platelets e rubbing. A partir do material particulado emitido, foi possível identificar diferentes mecanismos e regimes de desgaste atuantes no motor e modelá-los segundo uma cadeia de Markov. Para o B6, a quantidade de PM10 emitido foi maior principalmente nas primeiras 20 horas de ensaio. Partículas de ferro e alumínio estão em maior quantidade nessa fase comprovando a relação entre as taxas de desgaste e produção de PM10. No B6 aditivado os debris produzidos apresentaram tendência à adesão além de trincas provenientes de fratura frágil nos debris metálicos. A cadeia de Markov mostrou que as probabilidades de transição entre os mecanismos de desgaste possuem uma distribuição de equilíbrio em que o dano por fadiga possui o dobro da probabilidade de ocorrência que os demais.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 347080 - JOAO TELESFORO NOBREGA DE MEDEIROS
Interno - 1753067 - EFRAIN PANTALEON MATAMOROS
Externo à Instituição - JULIANA RICARDO DE SOUZA - UFRN
Externo à Instituição - MANOEL FERNANDES DE OLIVEIRA FILHO - IFRN
Notícia cadastrada em: 22/03/2017 18:54
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2020 - UFRN - sigaa05-producao.info.ufrn.br.sigaa05-producao