Banca de DEFESA: WELBER VASCONCELOS LEADEBAL JÚNIOR

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : WELBER VASCONCELOS LEADEBAL JÚNIOR
DATA : 24/02/2017
HORA: 14:30
LOCAL: Auditório do Laboratório de Manufatura - NTI/UFRN
TÍTULO:

ESTUDO DA USINABILIDADE DO AÇO ABNT D6 TEMPERADO E REVENIDO NO TORNEAMENTO ASSISTIDO POR NITROGÊNIO LÍQUIDO


PALAVRAS-CHAVES:

Usinagem criogênica, integridade superficial, desgaste da ferramenta.


PÁGINAS: 73
RESUMO:

A crescente demanda industrial por maior produção de peças de aço endurecido vem intensificando, na usinagem, a busca por novas soluções que proporcionem um menor desgaste sofrido pela ferramenta de corte e que utilize técnicas sustentáveis. Além disso, o desempenho em trabalho de um componente usinado é fortemente influenciado pela qualidade e confiabilidade das superfícies produzidas. Assim, o desenvolvimento de novos métodos que visam aprimorar, durante o processo, as características da integridade superficial das peças usinadas é uma das áreas emergentes na fabricação. Desta forma, este trabalho tem como objetivo investigar a usinabilidade do aço ABNT D6, no estado temperado e revenido, utilizando refrigeração criogênica. Para tanto, foram realizados testes de usinagem a seco e com aplicação de nitrogênio líquido, utilizando ferramentas de PCBN, com parâmetros de corte constantes, para comparação de espessura de camada branca, tensão residual, microdureza, rugosidade superficial, desgaste das ferramentas e análise morfológica dos cavacos entre as condições. Assim, as ferramentas, os cavacos gerados e amostras da peça usinada foram analisados através de microscopia eletrônica de varredura e espectroscopia de energia dispersiva (camada branca, rugosidade superficial e desgaste da ferramenta), microscopia óptica (desgaste da ferramenta e análise dos cavacos), difração de raios-x (tensão residual), microdureza Vickers e ensaios em rugosímetro. Os resultados preliminares mostraram que o uso da refrigeração criogênica reduziu consideravelmente a rugosidade da peça, sendo possível produzir um acabamento classificado numa classe de rugosidade superior (N4) ao que normalmente é obtido no torneamento duro a seco (N5, N6 ou N7). A partir dos testes de usinagem iniciais, percebe-se uma pequena diminuição no desgaste das ferramentas com refrigeração criogênica e a análise dos cavacos mostrou um maior controle dos cavacos para as condições com aplicação de nitrogênio líquido na superfície de saída.


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 1792669 - ADILSON JOSE DE OLIVEIRA
Presidente - 1545410 - ANDERSON CLAYTON ALVES DE MELO
Externo à Instituição - RAMSÉS OTTO CUNHA LIMA - UFERSA
Externo à Instituição - WISLEY FALCO SALES - UFU
Notícia cadastrada em: 25/01/2017 16:39
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2020 - UFRN - sigaa27-producao.info.ufrn.br.sigaa27-producao