Banca de QUALIFICAÇÃO: CLARA CAROLINE DE ARAÚJO AZEVEDO

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : CLARA CAROLINE DE ARAÚJO AZEVEDO
DATA : 20/12/2016
HORA: 14:00
LOCAL: Sala 94 do Centro de Tecnologia - CT/UFRN
TÍTULO:

ESTUDO DE COMPÓSITO À BASE DE GESSO E VERMICULITA PARA ISOLAÇÃO TÉRMICA


PALAVRAS-CHAVES:

Conservação de energia; Transferência de calor; Propriedades termofísicas.


PÁGINAS: 31
RESUMO:

Pressões sociais e econômicas têm estimulado pesquisas sobre conservação de energia. Um elemento determinante na redução de perdas de energia é o material de isolação térmica. Neste trabalho foram desenvolvidos experimentos para estudo da variação de propriedades termofísicas e de desempenho térmico de um compósito à base de gesso e vermiculita, em função da razão entre água e gesso (A/G). Duas razões A/G foram consideradas: 0,45 e 0,8. Na composição da mistura gesso – vermiculita, foi considerada a adição de vermiculita em substituição ao gesso nas seguintes proporções: 0 %, 5 %, 10 %, 15 % e 20 %. Para estudo das propriedades termofísicas do compósito, produziram-se cinco corpos de prova, em formato cilíndrico padrão (50 mm de diâmetro e 100 mm de altura), para cada composição. Para estudo do desempenho térmico do compósito, produziram-se três corpos de prova, em formato de placa (20 mm de espessura e 200 mm de lado) para cada composição. No estudo das propriedades termofísicas, utilizou-se o analisador térmico KD2 PRO, fabricado pela empresa Decagon Devices Inc., para medição dos seguintes parâmetros: condutividade térmica, resistividade térmica, capacidade calorífica volumétrica e difusividade térmica. Antes dos ensaios de medição desses parâmetros, foram determinados os valores da massa específica de cada corpo de prova, utilizando-se, para isso, uma balança digital (modelo KN 4000) com resolução de 0,01 g, fabricada pela empresa K N Waagen. Para estudo do desempenho térmico, os corpos de prova no formato de placa foram fixados na parte superior de uma câmara de madeira (250 mm de altura e 250 mm de lado), termicamente isolada nas paredes verticais e na base por meio de folhas de poliestireno expandido (EPS) com 10 mm de espessura. Cada conjunto câmara – placa foi disposto sob uma fonte de radiação térmica artificial (banco de lâmpadas incandescentes). Em cada conjunto câmara – placa foram fixados quatro termopares tipo “T” (cobre-constantan), que estavam conectados a um sistema de aquisição de dados via computador. A partir dos resultados dos ensaios, foram construídos gráficos para comparação dos parâmetros termofísicos e de desempenho térmico de cada composição. Constatou-se que, em relação ao gesso comum, o compósito gesso – vermiculita proporcionou redução da passagem de energia do meio para o interior da câmara de testes.


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 1454154 - ALDOMAR PEDRINI
Presidente - 1235107 - GEORGE SANTOS MARINHO
Externo à Instituição - ROBERTO SILVA DE SOUZA - IFRN
Notícia cadastrada em: 08/12/2016 12:52
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2020 - UFRN - sigaa12-producao.info.ufrn.br.sigaa12-producao