Banca de DEFESA: ERIEM ALLYNE MEDEIROS AZEVEDO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ERIEM ALLYNE MEDEIROS AZEVEDO
DATA: 17/12/2015
HORA: 09:00
LOCAL: Laboratório de Máquinas Hidráulicas e Energia Solar - NTI/UFRN
TÍTULO:

REVESTIMENTO DECORATIVO MONOCAMADA PIGMENTADO, COM RESÍDUO DE VIDRO TEMPERADO, PARA APLICAÇÃO EM FACHADAS


PALAVRAS-CHAVES:

Argamassa, Revestimento Decorativo Monocamada (RDM), Resíduo de Vidro Temperado (RVT).


PÁGINAS: 78
GRANDE ÁREA: Engenharias
ÁREA: Engenharia Mecânica
RESUMO:

Embora que eficiente do ponto de vista técnico, as camadas de argamassa que constituem o revestimento tradicional de alvenaria (chapisco, emboço e reboco) apresentam-se em contradição com as novas tecnologias construtivas e métodos mais eficientes de consumo e racionalização da obra. Do ponto de vista ambiental, o aproveitamento de resíduos em novos compósitos para a construção civil tem sido uma vertente de estudos em crescimento na comunidade científica, podendo vir a ser uma solução econômica, em alguns casos. Assim sendo, essa pesquisa propõe o desenvolvimento de uma argamassa para Revestimento Decorativo Monocamada (RDM), para aplicação em fachadas, produzida em canteiro, incorporando resíduo de vidro temperado (RVT) na matriz cimentícia, como substituto parcial do agregado. Para tanto, adotou-se a relação aglomerante/agregado de 1:6 (em volume), índice de consistência de 250mm ± 20, teores de substituição da areia por resíduo de vidro em 20%, 50% e 80%, e relação água/cimento variável em diversos traços. Foram utilizados dois aditivos, um polimérico, à base de estireno butadieno, e outro químico, além da adição mineral de sílica ativa e de pigmento inorgânico nas cores vermelho, amarelo e azul. Foram realizados ensaios mecânicos para a massa no estado fresco e endurecido, assim como para o revestimento aplicado sobre alvenaria, de modo a demonstrar a viabilidade do material. Além disso, verificou-se a adequabilidade do RDM ao ambiente construído, por meio de ensaios térmicos. Os resultados demonstram a exequibilidade do RDM proposto com valores expressivamente superiores, quando comparado às normatizações. Assim sendo, o estudo apresenta-se a comunidade científica como um incentivo ao uso das inovações tecnológicas na construção, aumentando o leque de alternativas disponíveis para a produção habitacional, com a proposição de um material que alcança as funcionalidades pretendidas e obtém ganho ambiental, podendo ser adotado em canteiros de obras, em contrapartida as argamassas industrializadas.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 349104 - LUIZ GUILHERME MEIRA DE SOUZA
Externo à Instituição - NATANAEYFLE RANDEMBERG GOMES DOS SANTOS - F.M.Nassau
Externo à Instituição - SANDRA MARIA DE LIMA - IFMT
Externo à Instituição - VALTENCIR LUCIO DE LIMA GOMES - IFRN
Notícia cadastrada em: 01/12/2015 15:35
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2020 - UFRN - sigaa21-producao.info.ufrn.br.sigaa21-producao