Banca de DEFESA: ALINE CRISTINA MENDES DE FARIAS

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ALINE CRISTINA MENDES DE FARIAS
DATA: 24/07/2015
HORA: 09:00
LOCAL: Sala 4 da Escola de Ciências e Tecnologia - ECT/UFRN
TÍTULO:

LUBRICIDADE DE BIODIESEL E SUA ASSOCIAÇÃO COM A ENERGIA VIBRACIONAL ELÁSTICA E ACÚSTICA ORIUNDOS DO CONTATO ESFERA-DISCO PLANO DE AÇO AISI 52100 SOB DESLIZAMENTO ALTERNADO


PALAVRAS-CHAVES:

Lubricidade; Biodiesel; Aço AISI 52100; Desgaste; Análise de Sinais.


PÁGINAS: 145
GRANDE ÁREA: Engenharias
ÁREA: Engenharia Mecânica
RESUMO:

A lubricidade do biodiesel interfere no funcionamento normal dos sistemas de injeção diesel, principalmente dos bicos injetores, reduzindo o desgaste e elevando o tempo de vida da linha de alimentação do motor. O método HFRR (High Frequency Reciprocating Rig) é um ensaio padrão para avaliação da lubricidade do diesel/biodiesel (ASTM D6079), consistindo principalmente da medição da escara de desgaste impressa na esfera numa sonda de movimento alternado sob alta frequência. Quando o desgaste se desenvolve, algumas características dinâmicas do sistema variam, resultando em desvios significativos nos padrões dos sinais de vibração, acústicos e de atrito. A aquisição e caracterização das assinaturas desses sinais obtidos durante os ensaios tribológicos representam uma importante ferramenta não intrusiva de avaliação da lubricidade desses combustíveis, cuja representação no domínio do tempo nem sempre revelam informações triviais, sendo necessária sua transformação para o domínio da frequência usando a Transformada rápida de Fourier (FFT) do sinal. A presente tese objetivou desenvolver uma forma dinâmica de avaliação de lubricidade de combustíveis (Diesel S50, Éster Metílico de Soja e blendas B10 e B20) em bancada HFRR (contato esfera-disco plano), e melhoria aos referenciais metodológicos da ASTM D6079, aplicando técnicas de análise de sinais (vibração e nível de pressão sonora) e sua associação com parâmetros disponibilizados pela norma ASTM D6079 (diâmetro da escara de desgaste) com duração de 75, 120 e 180 minutos. Os perfis e parâmetros de rugosidade e análise microscópica dos discos foram usados para melhor avaliar a influência do tempo e do combustível na evolução do desgaste do disco. Nesta avaliação, a lubricidade dos combustíveis aumentou com o teor de biodiesel utilizado e diminuiu com o aumento do número de ciclos aplicado. A análise temporal e o espectro de frequência dos sinais demonstraram sensibilidade com a mudança do combustível, o número de ciclos e, consequentemente, com a evolução do desgaste pelo uso prolongado dos combustíveis, estando, assim, correlacionados entre si e com os resultados disponíveis pela ASTM.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1481705 - SALETE MARTINS ALVES
Interno - 1792681 - ULISSES BORGES SOUTO
Externo ao Programa - 1640260 - JOSE JOSEMAR DE OLIVEIRA JUNIOR
Externo à Instituição - ADELCI MENEZES DE OLIVEIRA - PETROBRAS
Externo à Instituição - GILSON GARCIA DA SILVA - IFRN
Notícia cadastrada em: 16/07/2015 17:08
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2020 - UFRN - sigaa07-producao.info.ufrn.br.sigaa07-producao