Banca de DEFESA: CHRISTIANE SIQUEIRA DE AZEVEDO SÁ

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: CHRISTIANE SIQUEIRA DE AZEVEDO SÁ
DATA: 20/02/2015
HORA: 14:00
LOCAL: Laboratório de Engenharia Têxtil - LABTEX/NTI
TÍTULO:

DESENVOLVIMENTO DE UM MATERIAL TÊXTIL TERMOSENSSÍVEL COM MICRO/NANOCÁPSULAS IMOBILIZADAS EM FIBRAS REGENERADAS


PALAVRAS-CHAVES:

Têxteis inteligentes; Quitosana; Polieletrólito; Microcápsulas, Nanotecnologia.


PÁGINAS: 81
GRANDE ÁREA: Engenharias
ÁREA: Engenharia Mecânica
RESUMO:

Materiais têxteis inteligentes e funcionais tem sido amplamente desenvolvido e pesquisado com a finalidade de serem utilizados em várias áreas da ciência e tecnologia. Esses materiais fibrosos necessitam de diferentes propriedades químicas e físicas para se obter um material multifuncional. Com o advento da nanotecnologia, as técnicas desenvolvidas tem sido ferramentas essenciais para caracterizar qualitativamente esses novos materiais. Aplicar micro e nanomateriais em substratos têxteis tem sido objeto de muitas pesquisas ultimamente, mas muitos desses nanomateriais não tem sido otimizada a sua aplicação o que tem aumentado custos e poluição ao meio ambiente, pois ainda não existe tratamento de efluentes contento esses nanomateriais. Fibras de soja tem baixa adsorção de micro e nanocápsulas termosenssíveis devido a sua incompatibilidade de suas cargas superficiais. Para isso, neste trabalho utilizou-se a síntese da quitosana para funcionalizar as fibras de soja previamente. A quitosana é polieletrólito natural apresentando alta densidade de cargas positivas, como estas fibras apresentam cargas negativas bem como, as micro/nanocápsulas, neste caso a quitosana atua como agente auxiliar cationizador para fixar as microcápsulas termosenssíveis no substrato têxtil. Para a caracterização do polieletrólito foram feitas as análises de tamanho de partículas, potencial zeta, bem como as análises morfológicas (MEV e DRX), análises das propriedades térmicas (TG), análise de Calorimetria Exploratória Diferencial (DSC), análise por Espectroscopia na Região do Infravermelho com Transformada de Fourier (FTIR), colorimetria via espectro de UV-VIS foram simultaneamente realizadas no substrato utilizado. No potencial zeta e na determinação do tamanho de partícula foi observado a estabilidade eletrostática da quitosana em torno de 31.55mV e 291,0 nm respectivamente. O resultado obtido com (GD) para quitosana extraída de camarão foi de 70%, que de acordo com a literatura pode ser considerado quitosana.  Para otimização do processo de tingimento foi utilizado um software estatístico, o Design expert. A funcionalização do substrato têxtil com 2% de quitosana apresentou o melhor resultado de K/S, sendo parâmetro utilizado para o planejamento experimental, no qual este demonstrou a melhor resposta de tingimento na faixa de 2,624 de absorbância.


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - ANDREZA KELLY COSTA NOBREGA - UFERSA
Externo ao Programa - 2052404 - FERNANDO RIBEIRO OLIVEIRA
Externo ao Programa - 2941160 - JOSE HERIBERTO OLIVEIRA DO NASCIMENTO
Presidente - 6346998 - RASIAH LADCHUMANANANDASIVAM
Notícia cadastrada em: 26/01/2015 16:31
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2020 - UFRN - sigaa06-producao.info.ufrn.br.sigaa06-producao