Banca de DEFESA: AGNALDO SOUZA CRUZ

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : AGNALDO SOUZA CRUZ
DATA : 09/04/2018
HORA: 15:00
LOCAL: Laboratório de Inovação Tecnológica em Saúde (LAIS)
TÍTULO:

Osseus – Método baseado em inteligência artificial e ondas eletromagnéticas para o diagnóstico auxiliar de doenças osteometabólicas


PALAVRAS-CHAVES:

Osseus, osteoporose, fraturas, diagnóstico, densidade mineral óssea,  biomédica, computação, elétrica, software.


PÁGINAS: 50
RESUMO:

Chamada comumente de doença silenciosa, a osteoporose é uma doença osteometabólica sistêmica, caracterizada por baixa densidade mineral óssea (DMO), comprometendo a microarquitetura e a resistência óssea, expondo a pessoa ao risco de fraturas e consequente comprometimento da qualidade de vida, afetando sua mobilidade, independência; podendo ainda ocorrer, após a fratura, dores crônicas, deformidade, depressão ou morte por complicações médicas. No Brasil, estima-se que em um período de 20 anos houve aumento de 50% no número da população brasileira propensa a desenvolver osteoporose, as projeções para 2050 são de que o número de fraturas de quadril para homens e mulheres com idade entre 50 e 64 anos na América Latina vai aumentar em 400%, já para os grupos etários acima de 65 anos, será de 700% de aumento. Em um período de três anos foram realizados 3.252.756 procedimentos relacionados ao tratamento da osteoporose em idosos no Brasil, estes geraram um gasto de R$ 288.986.336,15.  O diagnóstico e o tratamento precoce desta doença são fundamentais para implantação de medidas preventivas, evitando a ocorrência de fraturas. Este é um grande desafio para um país de proporções como o Brasil (5.564 munícipios), com grande diversidade socioeconômica e de tamanho tanto em população quanto em área. Os equipamentos de diagnóstico para osteoporose possuem custo elevado, tornando-se inviável a presença destes em todos os munícipios da federação. Nesta tese é apresentada uma ferramenta para diagnóstico inicial de doenças osteometabólicas. Este instrumento é uma combinação de aplicação de técnicas e conceitos de diversas áreas como: engenharia de software, elétrica, computacão e biomédica, desenvolvida com baixo custo, fácil acessibilidade a população e não invasivo. Devido a estas características, os exames iniciais para doenças osteometabólicas poderão ser realizados em qualquer um dos 5.564 municípios do Brasil com periodicidade anual conforme parâmetros estabelecidos pela Portaria número 1.10/GM, do Ministério da Saúde. 


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2488270 - RICARDO ALEXSANDRO DE MEDEIROS VALENTIM
Interno - 347565 - ALDAYR DANTAS DE ARAUJO
Interno - 2459504 - AQUILES MEDEIROS FILGUEIRA BURLAMAQUI
Externo ao Programa - 1422699 - HERTZ WILTON DE CASTRO LINS
Externo ao Programa - 2562782 - KARILANY DANTAS COUTINHO
Externo à Instituição - ROBINSON LUIS DE SOUZA ALVES - IFRN
Externo à Instituição - MARTA ROSECLER BEZ - UFRGS
Externo à Instituição - RAIMUNDO VIEGAS JUNIOR - UFPA
Notícia cadastrada em: 17/02/2018 04:50
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2020 - UFRN - sigaa02-producao.info.ufrn.br.sigaa02-producao