Banca de DEFESA: SABRINA GABRIELLE GOMES FERNANDES

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : SABRINA GABRIELLE GOMES FERNANDES
DATA : 31/07/2018
HORA: 10:00
LOCAL: FACISA
TÍTULO:

RELAÇÃO ENTRE O AUTORRELATO DE SAÚDE E O DESEMPENHO FÍSICO EM MULHERES DE MEIA-IDADE E IDOSAS RESIDENTES NA COMUNIDADE NO NORDESTE DO BRASIL.



PALAVRAS-CHAVES:

Epidemiologia, autorrelato de saúde, força muscular, equilíbrio postural, envelhecimento, mulheres.


PÁGINAS: 87
RESUMO:

Introdução: O autorrelato de saúde (ARS) é uma das medidas de resultados mais utilizadas na epidemiologia social, pesquisas em saúde pública e prática clínica, e tem sido associado à morbidade e mortalidade em diferentes populações. As medidas de desempenho físico são amplamente determinadas por funções fisiológicas que tipicamente diminuem com a idade. Algumas evidências mostram que o ARS está associado a medidas objetivas de desempenho físico, porém, estudos que investigam a associação em populações de renda média e baixa são raros, principalmente para populações de meia-idade. Objetivo: Verificar a relação entre o ARS e as medidas de desempenho físico, através dos testes que avaliam força de membros superiores e inferiores, em mulheres de meia-idade e idosas de uma localidade de baixa renda do Brasil. Métodos:  Trata-se de um estudo transversal composto por 571 mulheres de meia-idade (40-59 anos) e idosas (60-80 anos) residentes dos municípios de Parnamirim e Santa Cruz, Rio Grande do Norte. As participantes que avaliaram o seu estado de saúde em “excelente”, “muito bom” ou “bom” foram alocadas no grupo “ARS bom”, e aquelas que relataram sua saúde como “mais ou menos” ou “ruim” compuseram o grupo “ARS ruim”. A avaliação do desempenho físico foi composta por 4 testes: força de preensão palmar, equilíbrio unipodal com olhos abertos e fechados e teste de sentar-levantar.  A relação entre o ARS e o desempenho físico para as mulheres de meia-idade e idosas foi avaliada por meio de regressão linear múltipla ajustada pelas covariáveis (idade, escolaridade, renda, IMC, atividade física, comorbidades, status menopausal e história reprodutiva). Resultados: Mulheres de meia-idade que reportaram um bom ARS apresentaram melhores médias de desempenho físico, como a força de preensão palmar (β= 1,927, p<0,001), melhor tempo no equilíbrio com olhos fechados (β= 1,339, p= 0,041) e foram mais rápidas no teste de sentar-levantar (β= -0,770, p= 0,003) quando comparadas com aquelas que reportaram sua saúde como “ruim”. Para o grupo de mulheres idosas não há associação entre as medidas de desempenho físico e o ARS. Conclusão: Esse estudou mostrou que o ARS é significativamente associado com as medidas objetivas de desempenho físico em uma amostra de mulheres de meia-idade de baixa renda, sendo, portanto, uma ferramenta útil para a avaliação da saúde física dessa população.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 3885543 - SAIONARA MARIA AIRES DA CAMARA
Externo ao Programa - 1460020 - ALVARO CAMPOS CAVALCANTI MACIEL
Externo à Instituição - MAYLE ANDRADE MOREIRA - UFC
Notícia cadastrada em: 04/07/2018 09:53
SIGAA | Superintendência de Informática - (84) 3215-3148 | Copyright © 2006-2019 - UFRN - sigaa13-producao.info.ufrn.br.sigaa13-producao