Banca de QUALIFICAÇÃO: YAGO TAVARES PINHEIRO

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : YAGO TAVARES PINHEIRO
DATA : 09/05/2018
HORA: 13:00
LOCAL: Laboratório de práticas fisioterapêuticas - FACISA/UFRN
TÍTULO:

EFEITO DO KINESIO TAPING NA FORÇA MUSCULAR, DOR, EDEMA, FUNÇÃO FÍSICA E QUALIDADE DE VIDA DE MULHERES COM OSTEOARTRITE DE JOELHO: ENSAIO CLÍNICO RANDOMIZADO E CEGO


PALAVRAS-CHAVES:

Osteoartrite de joelho. Kinesiotape. Dor. Força muscular. Edema. Qualidade de vida.


PÁGINAS: 46
RESUMO:

A osteoartrite (OA) de joelho é uma doença caracterizada principalmente pelo desgaste das estruturas articulares, que acomete 6% a 13% dos homens e 7% a 19% das mulheres, podendo ter sua prevalência aumentada proporcionalmente ao aumento da idade. Dentre os sinais e sintomas, destacam-se a dor, rigidez articular e perda da função. Nessa perspectiva, o kinesio taping (KT) surge como um recurso terapêutico alternativo para o tratamento desse tipo de paciente. Contudo, as evidências atuais sobre esta técnica são limitadas e conflitantes, fazendo com que seus efeitos sobre a sintomatologia da doença ainda sejam incertos. Dessa forma, o presente estudo terá como objetivo avaliar os efeitos da aplicação do KT na força muscular, dor, função física, edema e qualidade de vida de mulheres idosas com OA de joelho. Tratar-se-á de um ensaio clínico, randomizado e cego, no qual 45 voluntárias serão alocadas em três grupos: G1 (grupo placebo), G2 (grupo controle) e G3 (grupo intervenção). O G1 será submetido à aplicação placebo (sem tensão) do KT sobre o reto femoral; o G2 receberá um protocolo de uma sessão de atividade de educação em saúde com duração de 60 minutos e, por fim, o G3 será submetido à aplicação simultânea (com tensão) de duas técnicas do KT. Todos os grupos serão avaliados antes, imediatamente após e 48 horas depois da aplicação. Para mensuração das variáveis serão utilizados os questionários Western Ontario and McMaster Universities Osteoarthritis Index (WOMAC), Lysholm Knee Scoring Scale e Medical Outcomes Study 36-Short Form Health Survey (SF-36), a Escala Visual Analógica (EVA), além dos testes de uma repetição máxima (1RM) e de caminhada de 6 minutos (TC6) e a perimetria e volumetria. A análise estatística será feita com auxílio do software SPSS® (Statistical Package Social Science) versão 20.0. Os testes Kolmogorov-Smirnov e Levene serão aplicados para avaliação da normalidade e homogeneidade dos dados, respectivamente. As comparações intra e intergrupos serão avaliadas usando análises de variância ANOVA de modelo misto. Na presença de um F significativo, o teste pot-hoc de Benferroni será utilizado para identificar onde ocorreu a diferença. Para todas as análises estatísticas será adotado um nível de significância de 5% (p<0.05) e intervalo de confiança de 95% (IC 95%).


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2275864 - CAIO ALANO DE ALMEIDA LINS
Interno - 2316237 - RODRIGO SCATTONE DA SILVA
Externo ao Programa - 1032531 - ALINE BRAGA GALVAO SILVEIRA FERNANDES
Notícia cadastrada em: 09/04/2018 16:09
SIGAA | Superintendência de Informática - (84) 3215-3148 | Copyright © 2006-2019 - UFRN - sigaa11-producao.info.ufrn.br.sigaa11-producao