Banca de QUALIFICAÇÃO: THIAGO DE MEDEIROS DANTAS

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: THIAGO DE MEDEIROS DANTAS
DATA: 02/08/2013
HORA: 11:00
LOCAL: Sala do GED/CCET
TÍTULO:

O CONTEXTO DA MORTALIDADE NOS MUNICÌPIOS DA REGIÃO NORDESTE NO BRASIL, 2000 E 2010.


PALAVRAS-CHAVES:

Mortalidade. Qualidade dos Dados. Causa da Morte. Homicídio. Jovens.


PÁGINAS: 64
GRANDE ÁREA: Ciências Sociais Aplicadas
ÁREA: Demografia
RESUMO:

Nas últimas décadas, o Brasil passou por importantes processos de transições dentre as quais pode-se destacar a transição demográfica,  epidemiológica e urbana. É importante ressaltar que estes dois processos influenciam diretamente os níveis e padrões de mortalidade. Também, ao longo do tempo, a população brasileira sofreu outras transformações, envolvendo mudanças nas principais causas de morte, tendo destaque o crescimento dos óbitos relacionados às causas externas. Neste contexto, ganha destaque os homicídios e os acidentes que atingem diretamente os adultos jovens do sexo masculino. Destaca-se que o conhecimento sobre o padrão dos óbitos irá subsidiar no planejamento das políticas públicas. A principal fonte de informação sobre óbitos deste trabalho é o Sistema de Informação sobre Mortalidade (SIM), disponibilizado pelo Ministério da Saúde.  Esse Sistema permite obter dados sobre mortalidade por causas, desagregando por Grandes Regiões, Estados e  Município podendo-se explorar essas informações por diversas características de interesse. Não obstante, ressalta-se que diversos autores argumentam que os dados dos registros vitais no Brasil ainda padecem de problemas quanto a sua qualidade, acarretando entraves na obtenção de indicadores confiáveis sobre os níveis e padrões da mortalidade no Brasil, em que pese a melhoria do registro das informações nos últimos anos. Os principais problemas do sistema de informação sobre óbitos referem-se ao sub-registro, o preenchimento incorreto da Declaração do Óbito, juntamente com a compatibilidade da classificação de doenças (CID). Neste sentido, produziu-se dois artigos: Artigo 1: Avaliação da qualidade dos dados do Sistema de Informação de Mortalidade (SIM ) na região Nordeste do Brasil, 2000 e 2010. Neste estudo, pretende-se investigar a mortalidade nos municípios da região Nordeste do Brasil, bem como avaliar a qualidade dos dados do SIM de acordo com algumas categorias populacionais predefinidas, referente aos anos 2000 e 2010. Artigo 2: Os possíveis determinantes socioeconômicos da mortalidade por homicídios na região Nordeste do Brasil. A principal base de dados utilizada neste trabalho foi o Sistema de Informações sobre Mortalidade do Ministério da Saúde – SIM, integrado ao sistema DATASUS. Uma outra importante fonte de dados utilizada foi o Censo Demográfico 2000 e 2010, disponibilizadas pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Ademais, as variáveis relacionadas as condições de vida e desenvolvimento humano utilizadas neste trabalho são aquelas disponíveis na home-page do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). Para verificar a qualidade das estatísticas de óbitos no Brasil, utiliza-se o modelo de avaliação e correção dos dados de mortalidade, desenvolvido pela Organização Mundial de Saúde - OMS em parceria com a Health Information Systems Knowledge hub (HIS Hub) da Universidade de Queensland. A relação entre as variáveis socioeconômicas e os homicídios envolvendo jovens foi verificada através de um modelo de regressão múltipla, na qual adotou-se a taxa de homicídio juvenil como variável dependente e os indicadores socioeconômicos como variáveis independentes. Como resultado do artigo 1 encontrou-se que os dados avaliados apresentaram melhora significativa da qualidade das informações do SIM quando comparado os anos de 2000 e 2010, principalmente no que se refere ao registro da causa de morte. O panorama da mortalidade nos municípios mostrou um aumento das causas externas, destacando-se o grupo de homens entre 15 e 35 anos, sendo que as doenças não transmissíveis apresentam proporção maior do que as doenças transmissíveis.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1346630 - LARA DE MELO BARBOSA ANDRADE
Interno - 347370 - MARDONE CAVALCANTE FRANCA
Interno - 350691 - MARIA HELENA CONSTANTINO SPYRIDES
Externo ao Programa - 347067 - EDUARDO HENRIQUE SILVEIRA DE ARAUJO
Notícia cadastrada em: 31/07/2013 18:07
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2020 - UFRN - sigaa09-producao.info.ufrn.br.sigaa09-producao