Banca de QUALIFICAÇÃO: WALTER PEDRO SILVA JUNIOR

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : WALTER PEDRO SILVA JUNIOR
DATA : 21/09/2018
HORA: 14:30
LOCAL: Auditório do CCET
TÍTULO:

DIFERENCIAIS REGIONAIS DE ESCOLARIDADE NA MORTALIDADE ADULTA NO BRASIL EM 2010


PALAVRAS-CHAVES:

Mortalidade, Nível de escolaridade, Diferencial Regional, Dados faltante


PÁGINAS: 103
RESUMO:

Estudos sobre diferenciais de mortalidade por escolaridade são de grande relevância para a gestão da saúde pública no Brasil. Dado o contexto desigual dos processos de transição demográfica e epidemiológica entre estratos sociais, o objetivo desse trabalho é estimar os diferenciais educacionais na mortalidade adulta (25 a 59 anos) por grandes regiões, sexo e idade em 2010. A literatura tem apontado para uma relação inversa entre a mortalidade e a escolaridade, ou seja, quanto maior a escolaridade menor é o risco de o indivíduo morrer. Além disso, há evidências de que esses gradientes persistem em todas as idades, são maiores entre os homens, diminuem com a idade e sua magnitude difere entre as grandes regiões. Enquanto essa temática vem sendo discutida nos Estados Unidos desde a década de 1960, no Brasil os primeiros trabalhos são da década de 2000. Esse atraso é devido, principalmente, à péssima qualidade da variável escolaridade das declarações de óbitos registradas no Sistema de Informação sobre Mortalidade (SIM). Para buscar evidências sobre esses gradientes educacionais,o s microdados de óbitos do SIM em 2010 (para os óbitos) e os microdados dos censos 2000 e 2010 (para as quantidades populacionais) são as fontes de dados do estudo. Com isso, a proposta metodológica aqui é realizar duas correções nos dados antes de proceder com as estimativas dos diferenciais educacionais na mortalidade. A primeira é corrigir a incompletitude da variável escolaridade através de métodos de imputação. O método aplicado é o de imputação múltipla e ABB – Approximate Bayesian Bootstrap. A segunda trata-se da correção de sub-registro dos óbitos. Provavelmente será utilizado o método SEG ajustado para corrigir apenas os óbitos de menores escolaridades. Os Resultados preliminares em termos das taxas específicas de mortalidade (sem corrigir sub-registro e sem calcular pessoas-ano) estão em consonância com a literatura. Os riscos de morte são maiores entre os indivíduos de baixa escolaridade comparados aos de média e alta escolaridade. Além disso, os diferenciais foram maiores para os homens e tendem a diminuir com a idade. Outro achado é que os diferenciais são maiores para as regiões Sul e Sudeste.


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - CÁSSIO MALDONADO TURRA - UFMG
Externo ao Programa - 1149453 - DAMIAO NOBREGA DA SILVA
Interno - 1346605 - FLAVIO HENRIQUE MIRANDA DE ARAUJO FREIRE
Interno - 2002253 - MARCOS ROBERTO GONZAGA
Notícia cadastrada em: 06/09/2018 17:33
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2020 - UFRN - sigaa12-producao.info.ufrn.br.sigaa12-producao