Banca de QUALIFICAÇÃO: DENISE EVELYN MENDONÇA PIMENTEL

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : DENISE EVELYN MENDONÇA PIMENTEL
DATA : 30/08/2017
HORA: 09:30
LOCAL: Sala 04 do DDCA
TÍTULO:

O comportamento da fecundidade das mulheres nordestinas segundo seus diferenciais socioeconômicos, demográficos e reprodutivos com base na PNDS 2006.


PALAVRAS-CHAVES:

Fecundidade; Heterogeneidade; Comportamento reprodutivo; Nordeste


PÁGINAS: 30
RESUMO:

A heterogeneidade do comportamento da fecundidade em regiões onde persistem as desigualdades sociais tem despertado o interesse de demógrafos, principalmente entre os pesquisadores latino-americanos. Estes buscam entender as diferenças existentes em um contexto de baixa fecundidade, questionando o padrão de fecundidade tardia, como observado nos países desenvolvidos, ou uma heterogeneidade no cronograma da fecundidade (idade ao ter o primeiro filho), em razão das diferenças existentes nas condições sociais e econômicas das mulheres.   Contudo, estudos recentes ainda não chegaram a uma conclusão de como será a estrutura da fecundidade para regiões com estas características. Nesse contexto, a região Nordeste é caracterizada pelas desigualdades sociais e a segunda maior região com contingente populacional do país, tendo uma queda tardia nos níveis de fecundidade se comparada às demais regiões brasileiras, apesar de ter vivenciado um declínio mais intenso em um curto espaço de tempo, passando de 7,53 filhos por mulher para 2,06, de 1970 a 2010. Considera-se a hipótese que o comportamento da fecundidade no Nordeste é heterogêneo (mulheres sem filhos, que postergaram a maternidade e com fecundidade precoce/reduzida), sendo esta combinação que contribuiu para o declínio da fecundidade na região. O objetivo deste trabalho é analisar o comportamento da fecundidade das mulheres nordestinas, em uma perspectiva multidimensional, pois entende-se que as diferenças pelo desejo e o momento de ter ou não filhos estão relacionadas às vivências de ordem social, econômica e cultural. Este estudo é relevante para conhecer os perfis de mulheres que estão experimentando diferentes regimes de fecundidade, podendo contribuir com insumos para políticas públicas destinadas à saúde reprodutiva e direito reprodutivo. A metodologia consistirá, primeiramente, na avaliação descritiva da evolução da proporção de nascimentos por ordem de parturição das mulheres em idade reprodutiva (15 a 49 anos), segundo um conjunto de variáveis socioeconômicas, demográficas e reprodutivas, com base nos dados da PNDS 1996 e 2006. Posteriormente, será traçado perfis de mulheres que tiveram um filho, dois filhos, três ou mais filhos e que não tiveram filhos, com base no mesmo conjunto de variáveis, utilizando os dados da PNDS 2006.  Para criação dos perfis, o método escolhido foi Grade of Membership (GoM), modelo baseado na lógica de partição difusa, que permite montar perfis homogêneos e mistos, a partir de variáveis categóricas.


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - CLAUDIO SANTIAGO DIAS JUNIOR - UFMG
Presidente - 1715284 - LUANA JUNQUEIRA DIAS MYRRHA
Interno - 1688188 - MOISES ALBERTO CALLE AGUIRRE
Interno - 102.396.358-25 - WILSON FUSCO - FJN
Notícia cadastrada em: 17/08/2017 11:26
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2020 - UFRN - sigaa03-producao.info.ufrn.br.sigaa03-producao