Banca de DEFESA: MARIA DE JESUS XAVIER AGUIRRE

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: MARIA DE JESUS XAVIER AGUIRRE
DATA: 29/05/2015
HORA: 14:00
LOCAL: auditorio do CCET
TÍTULO:

PERFIL DA EDUCAÇÃO ALIMENTAR E NUTRICIONAL NO CONSUMO DA POPULAÇÃO BRASILEIRA DE 10 A 19 ANOS


PALAVRAS-CHAVES:

Educação Alimentar e Nutricional, Adolescência, Obesidade


PÁGINAS: 60
GRANDE ÁREA: Ciências Sociais Aplicadas
ÁREA: Demografia
RESUMO:

Os adolescentes constituem um grupo exposto ao risco nutricional, devido aos seus hábitos alimentares. Frequentemente omitem refeições, como o desjejum, ou substituem refeições, tal como, o almoço por lanches, além de consumirem, com elevada frequência, grande quantidade de refrigerantes. A elevada ingestão de alimentos calóricos e industrializados de valor nutricional reduzido, merece destaque, pois tal consumo tem sido relacionado à obesidade não somente em razão do volume de alimentos, mas também devido à composição e à qualidade da dieta. Esse tipo de mudanças dietéticas de ordem qualitativa e quantitativa observadas em todas as regiões do Brasil, bem como nas diversas partes do mundo, caracterizam a Transição Nutricional que não corresponde apenas a simples mudanças nos padrões alimentares, mas são resultados de processos socioculturais, econômicos, individuais e comportamentais. Nesse sentido, o objetivo da presente dissertação é determinar o perfil da Educação Alimentar e Nutricional da população brasileira na faixa etária de 10 a 19 anos, através de uma diversidade de alimentos de consumo. A fonte básica de informação para a análise do presente trabalho foi a Pesquisa de Orçamentos Familiares – POF 2009. O instrumental metodológico utilizado para a operacionalização dos perfis socioeconômicos foi o método Grade of Membership – GoM. A tipologia do consumo alimentar gerou três perfis extremos, o perfil extremo 1 (9,7%) ( educação alimentar e nutricional deficitária por excesso dietético) caracterizou-se pelo estado nutricional de sobrepeso ou obesidade, por fazerem suas refeições fora de casa com um cardápio bastante diversificado. Perfil 2 (16,1%) (educação alimentar e nutricional deficitária pelo excesso ou insuficiência dietética) sem definição com relação ao local de consumo de alimentos e com um cardápio composto por carboidratos, proteínas vegetal e animal. As características que predominam no Perfil Extremo 3 (3.6%) (educação alimentar e nutricional deficitária por insuficiência dietética), com estado nutricional de baixo peso; sem definição do local de consumo dos alimentos, fazem suas refeições com um cardápio pouco variado. Os resultados encontrados revelam o tipo de alimentos consumidos pelos adolescentes com estado nutricional de baixo peso e sobrepeso/obesidade. Além disso, constatou-se que os perfis de consumo alimentar mais prevalentes entre os adolescentes são caracterizados por consumirem uma dieta de baixa qualidade, reduzida em fibras e minerais, de alto teor energético e por apresentarem um estado nutricional de sobrepeso/obesidade.


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - GARDÊNIA ABREU VIEIRA FONTES - UFBA
Presidente - 347078 - MARIA CELIA DE CARVALHO FORMIGA
Interno - 6345253 - PAULO CESAR FORMIGA RAMOS
Externo à Instituição - ROBERTO DO NASCIMENTO RODRIGUES - UFMG
Notícia cadastrada em: 19/05/2015 14:53
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2020 - UFRN - sigaa05-producao.info.ufrn.br.sigaa05-producao