Banca de DEFESA: JOSENILDO EUGENIO DA SILVA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: JOSENILDO EUGENIO DA SILVA
DATA: 05/09/2014
HORA: 10:00
LOCAL: ANFITEATRO – B do CCET
TÍTULO:

HIV/AIDS: Um Perfil Epidemiológico do vírus e uma análise das práticas seguras, conhecimento e percepção de mulheres.


PALAVRAS-CHAVES:

HIV/AIDS. Mulheres. Conhecimento. Autopercepção.


PÁGINAS: 75
GRANDE ÁREA: Ciências Sociais Aplicadas
ÁREA: Demografia
RESUMO:

O debate em torno do acometimento do vírus HIV/AIDS passou por grandes transformações, no início, as campanhas de prevenção focavam os grupos de risco, depois, comportamentos de risco e, por fim, vulnerabilidade. Ademais, ao longo dos anos, dimensões da AIDS foram surgindo no meio social são estas: interiorização, heterossexualização, pauperização e feminização. Com base nesses contextos, a composição deste estudo compreende dois artigos: o primeiro tem como objetivo geral analisar o perfil epidemiológico e a incidência do vírus HIV/AIDS nas regiões brasileiras, no período de 1980 a 2012 e o segundo artigo tem o intuito de averiguar se há relação entre práticas seguras, conhecimento e percepção das mulheres residentes nas capitais de Manaus e Boa Vista sobre a infecção sobre vírus HIV/AIDS. No Artigo 1, utilizaram-se informações do Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde (DATASUS), como fonte de dados. Desenvolveu-se uma análise exploratória e espacial das taxas de incidência e proporção relativa dos casos notificados. No Artigo 2, utilizou-se como fonte de dados a Pesquisa “Avaliando o processo de difusão epidêmica e espacial do HIV/AIDS nas Unidades Federadas da Região Norte do Brasil”, ano 2008. Aplicaram-se técnicas estatísticas de Análise de Agrupamento, ANOVA, Qui-Quadrado, Tukey e Regressão Logística. Verificou-se que, nas Regiões Brasileiras, a predominância de casos notificados ocorreu entre os heterossexuais, em homens, em idade entre 20-60 anos e residentes em Regiões Metropolitanas. Captou-se correlação espacial significativa da taxa de incidência do vírus HIV/AIDS. Constatou-se, por meio dos resultados do segundo artigo, que ter bom conhecimento e percepção sobre o vírus HIV/AIDS não implica, essencialmente, numa prática sexual segura. Estes resultados mostram a necessidade de políticas públicas voltadas à orientação da sociedade, com base em estratégias educacionais que visem tanto informações sobre o vírus e suas formas de prevenção, como também a conscientização da população para práticas sexuais seguras em relações estáveis ou não.


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - IDEMAURO ANTONIO RODRIGUES DE LARA - USP
Interno - 1346630 - LARA DE MELO BARBOSA ANDRADE
Presidente - 350691 - MARIA HELENA CONSTANTINO SPYRIDES
Externo ao Programa - 347772 - NILMA DIAS LEAO COSTA
Interno - 320597 - PAULO SERGIO LUCIO
Notícia cadastrada em: 03/09/2014 15:31
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2020 - UFRN - sigaa02-producao.info.ufrn.br.sigaa02-producao