Banca de DEFESA: FRANCISCO LINDOMAR DE SOUZA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : FRANCISCO LINDOMAR DE SOUZA
DATA : 08/11/2022
HORA: 09:00
LOCAL: meet
TÍTULO:

CICLO DE MELHORIA DA QUALIDADE DA PREVENÇÃO DE FLEBITE EM UMA MATERNIDADE ESCOLA


PALAVRAS-CHAVES:

Melhoria da qualidade. Segurança do paciente. Flebites. Terapia intravenosa. Cuidados de enfermagem.


PÁGINAS: 96
RESUMO:

Introdução: A Terapia Intravenosa (TIV) é um procedimento rotineiro realizado pelos profissionais de Enfermagem. Trata-se de um conjunto de intervenções realizadas com os pacientes para o tratamento de enfermidades e realizada por acesso central ou periférico por meio da prática da punção venosa. A Terapia Intravenosa pode ocasionar diversas complicações dentre elas a flebite. Objetivo: Aplicar um ciclo de melhoria para a prevenção de flebite e avaliar o nível da qualidade da assistência em terapia intravenosa.  Metodologia:  Trata-se de um estudo quase experimental, do tipo antes e depois, de série temporal, com abordagem quanti-qualitativa. Foi realizado um ciclo de melhorias na Enfermaria de alto risco da Maternidade Escola Januário Cicco, com base nos critérios de qualidade estabelecidos para medir o nível de qualidade atual. A intervenção aconteceu entre os meses de maio e outubro de 2022, sendo realizado por meio de cinco fases: Fase 1: Identificação e priorização da oportunidade de melhoria; Fase 2: Análise da oportunidade de melhoria; Fase 3: Avaliação da qualidade; Fase 4: Intervenção para melhorar; Fase 5: Reavaliação e registro da melhoria conseguida. Resultados: Foram selecionados dez critérios de qualidade relacionados ao processo de cuidados em terapia intravenosa, considerados úteis para avaliar a melhoria da qualidade da prevenção de flebite. Para tanto, foram monitorados os indicadores de punção e manutenção de cateter intravenoso periférico pré e pós-intervenções e calculado o nível de cumprimento dos critérios avaliados. Identificou-se o cumprimento absoluto em dois critérios, sendo eles: C1: Realização da higienização das mãos antes e após a inserção do cateter periférico, com 100% de cumprimento e o C5: Utilização de cateteres periféricos sobre agulha. Quanto aos critérios com níveis de não cumprimento foram os C3: Utilização de cobertura transparente semipermeável e estéril para estabilização de acessos vasculares periféricos.  C8: Proteger a cobertura do acesso vascular periférico com plásticos e/ou papel alumínio durante o banho do paciente; C9: Utilizar seringas preenchidas de solução salina 0,9% para administração de flushing no acesso vascular periférico; e C10: Avaliação diária do sítio de inserção do acesso vascular periférico pelo enfermeiro com acompanhamento do tempo manutenção do cateter que não deve ser superior a 96h. A intervenção consistiu em um curso de capacitação ministrado pelo mestrando com os profissionais de enfermagem atuantes na enfermaria de alto risco do hospital. Após as intervenções, os critérios de qualidade foram novamente avaliados entre os meses de setembro e outubro de 2022 na enfermaria de alto risco do HMJC. Na reavaliação após a intervenção constatou-se que houve mudanças nos níveis de cumprimento dos critérios avaliados de forma positiva, com melhorias significativas em grande parte dos critérios. Conclusões: A implementação de um ciclo de melhoria da qualidade da prevenção de flebite na unidade de genecologia, mostrou-se relevante para a segurança do paciente e estimulou a adoção de práticas baseadas em evidências científicas pelos profissionais de Enfermagem antes e após processo de cateterização intravenosa.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2374850 - THAIZA TEIXEIRA XAVIER NOBRE
Interna - 2330137 - VILANI MEDEIROS DE ARAUJO NUNES
Externa à Instituição - SILVANA LOANA DE OLIVEIRA SOUSA - UMU
Externa à Instituição - THALYTA CRISTINA MANSANO SCHLOSSER - UFSJ
Notícia cadastrada em: 31/10/2022 08:07
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2023 - UFRN - sigaa10-producao.info.ufrn.br.sigaa10-producao