Banca de DEFESA: ROBSON SCHEFFER TEIXEIRA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ROBSON SCHEFFER TEIXEIRA
DATA: 02/12/2011
HORA: 15:00
LOCAL: INSTITUTO DO CÉREBRO - AUDITÓRIO
TÍTULO:

CARACTERIZAÇÃO DOS ACOPLAMENTOS FASE-AMPLITUDE NA REGIÃO CA1 DO HIPOCAMPO


PALAVRAS-CHAVES:

oscilações cerebrais;

registros eletrofisiológicos;

processos biofísicos


PÁGINAS: 52
GRANDE ÁREA: Ciências Biológicas
ÁREA: Fisiologia
RESUMO:

As oscilações cerebrais não são completamente independentes, mas capazes de interagir umas com as outras através de acoplamentos entre frequências (cross frequency coupling, doravante CFC) em pelo menos quatro diferentes modalidades: amplitude-amplitude, fase-fase (coerência), fase-frequência e fase-amplitude. Evidências recentes sugerem que não somente os ritmos per se, mas também as interações entre eles estão envolvidas na execução de tarefas cognitivas, principalmente aquelas que requerem atenção seletiva, transmissão de informações e consolidação de memórias. Estudos recentes propõem que oscilações gama alta (60 – 150 Hz) transferem informações espaciais do córtex entorrinal medial para a região CA1 do hipocampo através do acoplamento com a fase de teta (4 – 12 Hz). Apesar destas descobertas, entretanto, pouco se sabe sobre as características gerais dos CFCs em diversas regiões cerebrais. Neste trabalho, registramos potenciais de campo local usando matrizes de multieletrodos (microfios de tungstênio insulados por Teflon) implantadas no hipocampo dorsal para registro neural crônico. O acoplamento fase-amplitude foi avaliado por meio da análise de comodulogramas, uma ferramenta de CFC desenvolvida recentemente (Tort et al. 2008, Tort et al. 2010). Todas as análises de dados foram realizadas em MATLAB (MathWorks Inc). Descrevemos duas oscilações funcionalmente distintas dentro da faixa de frequência de gama, ambas acopladas ao ritmo teta durante exploração ativa e sono REM: uma oscilação com um pico de atividade em ~80 Hz e uma mais rápida centrada em ~140 Hz. As duas oscilações são diferencialmente moduladas pela fase de teta conforme a camada de CA1; o acoplamento teta-80 Hz é mais forte no stratum lacunosum-moleculare, enquanto que o acoplamento teta-140 Hz é mais forte no stratum oriens-alveus. Este perfil laminar sugere que a oscilação de 80 Hz origina-se das entradas do córtex entorrinal para as camadas profundas de CA1, e que a oscilação de 140 Hz reflete a atividade de CA1 em camadas superficiais. Ademais, nós mostramos que a oscilação de 140 Hz difere-se das oscilações ripples associadas com sharp-waves em diversos aspectos chave. Nossos resultados demonstram a existência de novas oscilações de alta frequência associadas à teta e sugerem uma redefinição das oscilações gama alta.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1721223 - ADRIANO BRETANHA LOPES TORT
Interno - 1728817 - CLAUDIO MARCOS TEIXEIRA DE QUEIROZ
Interno - 1243905 - DRAULIO BARROS DE ARAUJO
Externo à Instituição - OLAVO BOHRER AMARAL - UFRJ
Interno - 1824636 - RICHARDSON NAVES LEAO
Notícia cadastrada em: 30/11/2011 14:07
SIGAA | Superintendência de Informática - (84) 3215-3148 | Copyright © 2006-2019 - UFRN - sigaa03-producao.info.ufrn.br.sigaa03-producao