Banca de DEFESA: DANIEL GOMES DE ALMEIDA FILHO

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : DANIEL GOMES DE ALMEIDA FILHO
DATA : 25/02/2019
HORA: 09:00
LOCAL: INSTITUTO DO CEREBRO
TÍTULO:

Corticalização de memória hipocampo-dependente durante o sono REM – Investigando diferentes janelas temporais após o aprendizado


PALAVRAS-CHAVES:

corticalização, sono REM, condicionamento de medo contextual, REM fásico, consolidação de memória, córtex retrosplenial, causalidade de Granger


PÁGINAS: 207
RESUMO:

Sono e memória são dois aspectos essenciais na vida da maioria dos seres vivos. Durante o sono, descansamos nossos músculos e nossos órgãos internos, reduzimos o gasto de energia, recuperamos nosso sistema imunológico e limpamos nossos cérebros de metabólitos; todas atividades necessárias na preparação do nosso corpo para o próximo dia de experiências. Simultaneamente, a memória é uma função cognitiva que nos permite caracterizar padrões, armazená-los, construir e desenvolver ideias e definir quem somos. Curiosamente, as últimas décadas de pesquisa levaram à noção de que esses dois importantes processos fisiológicos podem andar de mãos dadas; ou seja, que a função do sono na memória não é meramente limpar informações desnecessárias e ajudar passivamente aumentando a relação sinal-ruído. As novas evidências sugerem um protagonismo do sono em trabalhar ativamente no processamento de memória. Além do abundante conjunto de evidências implicando uma fase específica do sono chamada de sono não-REM (movimento ocular rápido, do inglês rapid eye movement – REM) na consolidação da memória, o presente trabalho se concentra no entendimento do mecanismo pelo qual o sono REM beneficia o processamento de memória dependente do hipocampo. Fizemos uma extensa revisão da literatura, colaborações, projetamos, realizamos e analisamos experimentos visando avançar na compreensão do papel do sono REM no processo de fazer memórias dependentes do hipocampo persistirem e dependerem gradualmente de estruturas neocorticais (corticalização) ao longo do tempo. Nossos resultados indicam que existem janelas temporais especiais relacionadas ao sono REM que auxiliam na promoção da plasticidade e corticalização do traço de memória após o aprendizado, com atenção especial para uma janela precoce 3 a 4 horas após o treinamento, e uma tardia cerca de 12 horas depois. Mostramos evidências de uma interação entre o hipocampo e o córtex retrosplenial (duas regiões intimamente relacionadas ao processamento de memória) durante o sono REM, e que essa interação durante a janela precoce está correlacionada com a expressão da memória. Nós também exibimos evidências de que o aumento da expressão de genes relacionados à plasticidade sináptica durante o período tardio, que tem sido consistentemente implicados na persistência da memória, pode depender do sono REM. Ao todo, os resultados relatados no presente trabalho suportam a noção de que as janelas de sono REM após o treinamento são importantes 9 para o processamento de memória offline e para a corticalização. Eles também sugerem que os mecanismos da ação do sono REM compreendem a interação entre regiões corticais e subcorticais relacionadas à memória, e promover a expressão gênica induzida pelo aprendizado necessária para a remodelação otimizada de redes corticais, a fim de introduzir novas experiências no cabedal de conhecimento preexistente


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1660044 - SIDARTA TOLLENDAL GOMES RIBEIRO
Interno - 1721223 - ADRIANO BRETANHA LOPES TORT
Interno - 1939184 - SANDRO JOSE DE SOUZA
Externo à Instituição - KOICHI SAMESHIMA - USP
Externo à Instituição - MÁRCIO FLÁVIO DUTRA MORAES - UFMG
Notícia cadastrada em: 21/02/2019 10:46
SIGAA | Superintendência de Informática - (84) 3215-3148 | Copyright © 2006-2019 - UFRN - sigaa07-producao.info.ufrn.br.sigaa07-producao