Banca de QUALIFICAÇÃO: ADISON MITRE ALVES DE LIMA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ADISON MITRE ALVES DE LIMA
DATA: 25/06/2015
HORA: 10:00
LOCAL: INSTITUTO DO CÉREBRO
TÍTULO:

EFEITOS DA PRIVAÇÃO CRÔNICA DE SONO E JET-LAG SOCIAL NA SAÚDE DE ESTUDANTES DE MEDICINA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE


PALAVRAS-CHAVES:

Ansiedade, depressão, sonolência diurna, ritmo circadiano, homeostasia do sono.


PÁGINAS: 43
GRANDE ÁREA: Ciências Biológicas
ÁREA: Fisiologia
RESUMO:

Mudanças periódicas na fisiologia de um organismo vivo são chamadas de ritmos biológicos, os quais dependendo da sua freqüência de oscilação são classificados em ritmos: circadianos – que têm um período próximo a 24 horas – como o ciclo sono-vigília (CSV); ultradianos – com um período menor que 24h – como o

ritmo cardíaco; ou infradiano – o qual perfaz um período de mais de 24h – como o caso do ciclo estral das fêmeas de mamíferos. Esses ritmos podem ter suas oscilações sincronizadas a estímulos externos, chamados de zeitgebers. Dentre os ritmos biológicos mais estudados está o CSV e  seu principal zeitgeber é o ciclo claro-

escuro (CE) da iluminação solar. No entanto vários outros sincronizadores atuam sobre o CSV como é o caso das atividades sociais, dentre elas horários de aulas e trabalho. O ritmo endógeno do CSV de humanos tem um período de aproximadamente 25h, necessitando, portanto, de um ajuste diário de cerca de uma hora. Entretanto

esse ajuste não é igual para todas as pessoas, que respondem de forma diferente aos estímulos da luz do sol e das obrigações sociais. Existem indivíduos que naturalmente tendem a acordar e dormir mais cedo – os matutinos – e indivíduos que naturalmente tendem a dormir e acordar mais tarde – os vespertinos. Essa classificação entre indivíduos matutinos e vespertinos (e também intermediários) é chamada de cronotipo.

Indivíduos de cronotipo vespertino têm um prejuízo direto quando suas atividades iniciam mais cedo, que é a interrupção precoce do sono, levando a uma diminuição na quantidade e portanto da qualidade de sono desses indivíduos, forçando-os a expandir a duração do sono nos fins de semana, num efeito chamado de Jet-lag social. Ainda uma variação normal dentre os indivíduos é a quantidade de horas de sono necessárias por noite indo de casos extremos como indivíduos que necessitam de apenas 04 horas de sono (pequenos dormidores) até cerca de 12 horas por noite (grandes dormidores), porém a grande maioria dos indivíduos necessita de 7,5 a 8,5 horas de sono por noite. A diminuição da quantidade e da qualidade do sono dos indivíduos influencia diretamente na piora da qualidade de vida e da saúde dos mesmos. Uma pior qualidade de sono reflete num pior desempenho acadêmico, num pior desempenho das funções cognitivas que envolvem memória, aprendizagem, raciocínio lógico, cálculos aritiméticos, reconhecimento de padrões, processos verbais

complexos e tomada de decisão. Disfunções orgânicas também são observadas como piora do desempenho físico e sensação de fadiga e até o desenvolvimento de doenças como Hipertensão Arterial Sistêmica, Diabetes Mellitus, Obesidade, Síndrome Metabólica, Transtornos do humor e Dependência Química. O presente estudo busca evidenciar as causas de uma pior qualidade de sono dos estudantes do curso de Medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Norte.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 1243905 - DRAULIO BARROS DE ARAUJO
Presidente - 1216466 - JOHN FONTENELE ARAUJO
Interno - 6346130 - MARIA BERNARDETE CORDEIRO DE SOUSA
Notícia cadastrada em: 16/06/2015 10:33
SIGAA | Superintendência de Informática - (84) 3215-3148 | Copyright © 2006-2019 - UFRN - sigaa05-producao.info.ufrn.br.sigaa05-producao