Banca de DEFESA: ILZENETE ANDRADE MENESES

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ILZENETE ANDRADE MENESES
DATA: 28/12/2011
HORA: 09:00
LOCAL: Sala de Aula do PEC - Setor 4, bloco "I", sala 20.
TÍTULO:

AVALIAÇÃO DE CONCRETO COM ADIÇÃO DE FIBRAS DE PET SUBMETIDO A ALTAS TEMPERATURAS


PALAVRAS-CHAVES:

Concreto, PET, concreto com fibras, altas temperaturas.


PÁGINAS: 100
GRANDE ÁREA: Engenharias
ÁREA: Engenharia Civil
SUBÁREA: Construção Civil
ESPECIALIDADE: Materiais e Componentes de Construção
RESUMO:

O concreto ao longo dos séculos constituiu-se num elemento estrutural indispensável na construção civil, devido a sua relativa facilidade de moldagem, sua durabilidade diante das intempéries, seu baixo custo, sua menor necessidade de manutenção, se comparado a outros materiais, como o aço. No entanto, quando o concreto fica exposto às altas temperaturas tende a perder suas características mecânicas, podendo inclusive ocorrer perda de seção, que compromete a estabilidade e a resistência mecânica dos elementos estruturais. As patologias decorrentes da exposição á elevadas temperaturas vão desde as fissuras, estalos até lascamentos explosivos.Nos últimos tempos, a tecnologia do concreto está intimamente ligada ao estudo de sua microestrutura.O uso de fibras adicionadas ao concreto tem se revelado como solução para o incremento de resistência mecânica do concreto, pois atua diretamente na distribuição dos esforços que atuam na peça no âmbito da microestrutura. Neste trabalho foram usadas fibras de PET reciclado incorporado ao concreto convencional utilizado em obras para verificação de resistência mecânica dessa mistura ás elevadas temperaturas. Os corpos de prova dos concretos com adição de fibras de PET foram ensaiados após exposição ás temperaturas: ambiente, 100ºC, 200ºC, 300ºC, 400ºC, 600ºC e 900ºC. Verificou-se que o concreto perde de forma significativa resistência mecânica quando exposto a temperaturas maiores que 300ºC, no entanto o uso da fibra de PET pode retardar o risco de colapso de estruturas pela formação de uma rede de canais que facilitam a fuga do vapor d´água, reduzindo a poro-pressão no interior do elemento estrutural.


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - ANA CECILIA VIEIRA DA NOBREGA - UFPE
Externo à Instituição - ANDREZA KELLY COSTA NOBREGA - UFRN
Presidente - 1507841 - MARIA DAS VITORIAS VIEIRA ALMEIDA DE SA
Notícia cadastrada em: 20/12/2011 15:29
SIGAA | Superintendência de Informática - (84) 3215-3148 | Copyright © 2006-2019 - UFRN - sigaa12-producao.info.ufrn.br.sigaa12-producao