Banca de QUALIFICAÇÃO: MAELSON MENDONCA DE SOUZA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : MAELSON MENDONCA DE SOUZA
DATA : 13/03/2019
HORA: 10:30
LOCAL: Auditório do CT
TÍTULO:

Desenvolvimento de agregado leve calcinado a partir do lodo de esgoto para concreto estrutural


PALAVRAS-CHAVES:

Agregado leve; Lodo de esgoto; Argila; Concreto leve estrutural; Reutilização.


PÁGINAS: 49
RESUMO:

O lodo de esgoto é o principal subproduto obtido durante o tratamento de
águas residuais. Estudos vêm demonstrando que sua produção é crescente em
diversos países. Em oposição a tal cenário, os órgãos de controle vêm
aumentando o rigor das leis ambientais, inviabilizando vários métodos
tradicionais de descarte, como a deposição do resíduo em oceanos ou aterros
sanitários. Dessa forma, percebe-se a necessidade do desenvolvimento de
métodos de valorização do lodo de esgoto, como forma de proporcionar uma
gestão sustentável para o resíduo em questão. Por outro lado, a indústria da
construção civil vem se deparando com a escassez de materiais básicos,
provenientes de recursos naturais. Tal realidade vem exigindo do setor a busca
por opções sustentáveis em substituição as matérias primas tradicionais.
Nesse contexto, diversas pesquisas vêm demonstrando o potencial de
aplicação do lodo de esgoto no desenvolvimento de materiais de construção. A
aplicação deste resíduo na produção de agregados leves obteve resultados
animadores em diversos países. No entanto, a abordagem do tema em questão
ainda não é comum nas pesquisas nacionais. Dessa forma, o presente estudo
tem por objetivo aplicar o lodo de esgoto como matéria-prima na produção de
um novo agregado leve, visando obter um material com propriedades
adequadas para produção de concretos leves estruturais. A produção de um
agregado leve sustentável é vista como indispensável, pois além da
preservação dos recursos naturais e da solução para problemática do lodo,
promoverá uma descentralização na cadeia produtiva do agregado leve, que
atualmente está restrita ao estado de São Paulo, oportunizando a

disseminação do concreto leve para as demais regiões brasileiras. Uma
pesquisa exploratória foi definida como estratégia de investigação, visando
atingir os objetivos supracitados. Inicialmente, todos os materiais de partidas
serão beneficiados e caracterizados, em seguida serão formuladas as misturas
expansivas de acordo com o diagrama de Riley. Os agregados serão
produzidos em formato cilíndrico com dimensões entre 10 e 20mm. O material
será seco e em seguida sinterizado a uma faixa de temperatura de 1050°C a
1250°C. Ensaios para determinação da: Absorção por capilaridade;
Granulometria; Resistência à Abrasão e à compressão; Densidade;
Microestrutura e do teor de material pulverulento, serão realizados visando a
tipificação das amostras obtidas. A formulação de melhor desempenho será
aplicada na produção de um concreto leve estrutural, dosado com base na
norma ACI 211.2-98. Por fim, o compósito obtido será submetido a ensaios de
caracterização tanto no estado fresco quanto endurecido e analisado a partir
das normas brasileiras e em comparação a um concreto de referência. Como
resultados desta pesquisa, espera-se comprovar a viabilidade de produção de
agregados leves a partir do lodo de esgoto, discriminar a metodologia mais
adequada para fabricação de tal agregado e obter concretos leves sustentáveis
com resultados comparáveis aos tradicionalmente produzidos nos canteiros
brasileiros.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 028.307.994-02 - ENIO FERNANDES AMORIM - IFRN
Presidente - 022.621.844-96 - MARCOS ALYSSANDRO SOARES DOS ANJOS - IFRN
Interna - 1284389 - MARIA DEL PILAR DURANTE INGUNZA
Notícia cadastrada em: 27/02/2019 16:10
SIGAA | Superintendência de Informática - (84) 3215-3148 | Copyright © 2006-2019 - UFRN - sigaa11-producao.info.ufrn.br.sigaa11-producao