Banca de DEFESA: VICTOR VINICIUS DE OLIVEIRA FERREIRA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : VICTOR VINICIUS DE OLIVEIRA FERREIRA
DATA : 21/03/2018
HORA: 14:00
LOCAL: AUDITÓRIO DO CT
TÍTULO:

Indicação de Espécies da Caatinga para a Construção Civil



PALAVRAS-CHAVES:

Madeira; Construção Civil; Caatinga



PÁGINAS: 110
RESUMO:

A madeira é um material sustentável com múltiplas finalidades, sendo uma delas a construção civil. Grande parte da madeira consumida no Brasil é oriunda da Floresta Amazônica e apesar do país possuir grande potencial florestal é predominante a cultura da construção em alvenaria. A Caatinga é um bioma rico, peculiar e com grande potencial a ser explorado na construção civil. As espécies arbóreas da Caatinga têm por características estatura baixa, fustes com diâmetros pequenos e tortuosos. O principal destino dessas espécies é a utilização como lenha e carvão mineral. Desta forma, o presente trabalho tem como objetivo analisar a viabilidade do potencial uso das espécies de madeira da Caatinga na composição de sistemas construtivos e elemento estruturais. Foram identificadas as espécies da Caatinga com potencial uso na construção, sendo selecionadas as espécies Angico, Jurema Preta, Mororó e Pereiro. As amostras foram coletadas de quarenta e oito árvores, sendo doze de cada espécie na Fazenda Riacho do Cabra localizada no Município de Santa Cruz-RN. O desdobramento foi realizado na Escola Agrícola de Jundiaí (EAJ) no Município de Macaíba-RN e os ensaios de caracterização foram realizados na Universidade de São Paulo (USP) em São Carlos-SP. A caracterização foi composta pelo ensaio de densidade, estabilidade dimensional, resistência a compressão e a tração paralela às fibras e resistência ao cisalhamento de acordo com NBR 7190:1997. Os dados foram analisados em conformidade com a NBR 7190:1997, calculando as resistências características, os valores da média e o desvio padrão das variáveis. O teste de Correlação de Spearman foi utilizado e adotado o nível de significância de 5%. O resultado do ensaio de densidade evidenciou madeiras densas, com valores próximas a madeiras comumente utilizadas na construção civil como a maçaranduba e jatobá. As espécies apresentaram bons valores de resistência a compressão paralela às fibras e ao cisalhamento, sendo classificadas como média, as demais propriedades mecânica e de rigidez foram classificadas como baixa O angico se destacou por apresentar os maiores valores de resistência a compressão e a tração paralela às fibras e de rigidez. A Jurema Preta obteve o maior valor de resistência ao cisalhamento. Houve significância estatística entre a densidade aparente com resistência a compressão paralela às fibras do Angico (p = 0,002) e Mororó (p= 0,006); resistência a compressão paralela às fibras com o módulo de elasticidade a compressão paralela às fibras do Angico (p=0,055) e do Pereiro (p=0,022); módulo de elasticidade a tração paralela às fibras com a resistência a tração paralela às fibras da Jurema Preta (p=0,040) destacando-se a espécie Angico com força de correlação forte da densidade aparente com a resistência a compressão paralela às fibras. Desta forma, as propriedades físicas e os valores de resistência e rigidez foram representativos para todas as espécies, evidenciando a sua possível utilização na construção civil como mourões, pontaletes, andaimes, elementos de cobertura, esquadrias em geral, vigas, lambris, painéis, guarnições, forros, rodapés e em sistemas construtivos como Estruturas Lamelas.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1694892 - EDNA MOURA PINTO
Interno - 1515200 - JOSE NERES DA SILVA FILHO
Externo à Instituição - ROSIMEIRE CAVALCANTE DOS SANTOS - UFRN
Notícia cadastrada em: 19/03/2018 10:08
SIGAA | Superintendência de Informática - (84) 3215-3148 | Copyright © 2006-2019 - UFRN - sigaa09-producao.info.ufrn.br.sigaa09-producao