Banca de QUALIFICAÇÃO: MANOEL CIRÍCIO PEREIRA NETO

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: MANOEL CIRÍCIO PEREIRA NETO
DATA: 19/03/2012
HORA: 14:00
LOCAL: Sala G-1 do setor de aula II
TÍTULO:

Análise da fragilidade ambiental da Bacia Hidrigrágica do Rio Seridó


PALAVRAS-CHAVES:

Fragilidade ambiental, semiárido, seridó, bacia hidrográfica.


PÁGINAS: 50
GRANDE ÁREA: Ciências Humanas
ÁREA: Geografia
RESUMO:

A região do Seridó potiguar tem se caracterizado historicamente como um espaço marcado pela degradação ambiental proveniente, sobretudo pelas inadequadas técnicas de manejo utilizadas ao longo dos ciclos econômicos deste território (pecuária, algodão, mineração e cerâmica) sem, pois levar em consideração às suas diferentes características e/ou áreas de fragilidade natural e seus respectivos elementos físico-ambientais; de forma a resultar atualmente, em um dos quatros núcleos de desertificação no Brasil reflexo, pois da excessiva exploração e pressão antrópica sobre os recursos naturais (Cavalcanti, 2003; Brasil, 2005). Com base nesta premissa, e tendo em vista a escassez e/ou a carência de estudos e pesquisas acerca da região do Seridó potiguar, e em especial de sua bacia hidrográfica, esta pesquisa objetiva, portanto o desenvolvimento de uma análise integrada acerca dos possíveis fatores e/ou elementos de pressão e impacto acerca da fragilidade ambiental da bacia hidrográfica do Rio Seridó; de maneira a possibilitar também o confronte e a correlação entre os principais métodos de análise atualmente utilizados (Ross, 1994 e Crepani, 2001), levando em consideração as diferentes informações observadas e identificadas em campo. Como primeiros resultados verifica-se que o índice de rugosidade topográfica – comparados analogamente ao índice de dissecação do relevo (Sampaio, 2008) encontra-se intimamente atrelado à concentração dos diferentes índices de declividade e amplitude altimétrica, de modo que, quantitativamente, sobre a bacia hidrográfica analisada estes valores podem ser traduzidos em padrões de rugosidade topográfica, tais como: 35.000 ha caracterizados como de Fraca e/ou Muito Fraca, 8.000 ha de media rugosidade e aproximados 4.000 ha caracterizados por uma rugosidade topográfica Forte e/ou Muito Forte. De modo que os maiores valores indicadores de uma maior fragilidade potencial estão associadas ao Planalto da Borborema e seus relevos residuais, em contraposição a uma menor fragilidade referente e predominante sobre a unidade geomorfológica da Depressão Sertaneja. Trata-se, portanto de importantes dados indicativos ao entendimento da susceptibilidade potencial deste sistema, de modo a auxiliar ao adequado (re)ordenamento das áreas indicativas de maior e/ou menor estabilidade/instabilidade potencial do relevo, mas que devem ainda serem integradas na próxima etapa aos outros diferentes elementos físico-naturais para análise mais detalhada.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1692459 - ERMINIO FERNANDES
Interno - 1149364 - LUIZ ANTONIO CESTARO
Interno - 1503011 - LUTIANE QUEIROZ DE ALMEIDA
Notícia cadastrada em: 19/03/2012 11:47
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2020 - UFRN - sigaa09-producao.info.ufrn.br.sigaa09-producao