Banca de DEFESA: ZARA DE MEDEIROS LINS - (Retificação)

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.

DISCENTE: ZARA DE MEDEIROS LINS

DATA: 25/02/2011

HORA: 14:00

LOCAL: Auditório do Departamento de Geografia

TÍTULO:

Circuitos espaciais de produção da atividade boneleira: o uso dos territórios de Caicó, Serra Negra do Norte e São José do Seridó


PALAVRAS-CHAVES:

Circuitos espaciais de produção - atividade boneleira - uso do território - Caicó, Serra Negra do Norte e São José do Seridó.


PÁGINAS: 224

GRANDE ÁREA: Ciências Humanas

ÁREA: Geografia

RESUMO:

Este estudo se fundamentou na análise da contribuição do circuito espacial de produção da atividade boneleira para o uso atual dos territórios de Caicó, Serra Negra do Norte e São José do Seridó, localizados na Região do Seridó Potiguar. Estes três municípios formam um território boneleiro, constituído por sessenta e quatro (64) unidades fabris, considerado o segundo maior produtor de bonés do Brasil. Na condição de base geográfica, a operacionalização do conceito de circuitos espaciais de produção foi imprescindível para se compreender o uso do território e a indivisibilidade do espaço, desde o fornecedor de insumo até o consumidor final, envolvendo as etapas da matéria-prima, mão de obra, estocagem, transportes, comercialização e consumo, no atual período em que as instâncias da produção, circulação, distribuição e consumo se difundem espacialmente. A partir da identificação e da localização destas etapas e dos principais agentes envolvidos na atividade boneleira, elaborou-se um esquema do circuito espacial de produção, interpretando-se o uso do território através das instâncias produtivas. A interpretação das etapas produtivas identificou que as empresas vinculadas à Associação Seridoense dos Fabricantes de Bonés agem com mais eficácia no território do que as não associadas, considerando que sempre investem em novos equipamentos, ampliando o seu poder técnico para se fortalecerem diante de um mercado tão competitivo como o de bonés. Ao se examinar a contribuição da confecção dos bonés para o uso atual dos territórios do recorte, apreendeu-se que as atividades complementares e os insumos necessários à sua realização são encontrados no seu entorno geográfico. Assim, a proximidade espacial entre as etapas da confecção dos bonés vislumbra a materialidade do território, conferida na coexistência entre técnicas pretéritas e do presente, e no conjunto de ações exercidas por certo número de agentes sociais, que colaboram na constituição do circuito espacial de produção da atividade boneleira. Neste estudo, verificou-se que as bonelarias se organizam em forma de células de produção, contínuas ou descontínuas, cujos equipamentos e máquinas de costura industriais obedecem à lógica de uma produção cada vez mais padronizada. Este circuito contribui para o uso atual dos territórios de Caicó, Serra Negra do Norte e São José do Seridó porque amplia o movimento e as relações de trocas entre os lugares, através da dinâmica de fluxos de pessoas, mercadorias e produtos, em permanente circulação, balizada pela divisão do trabalho entre as etapas produtivas.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2177362 - ALDO ALOISIO DANTAS DA SILVA
Interno - 2346233 - FRANCISCO FRANSUALDO DE AZEVEDO
Externo à Instituição - RICARDO ABID CASTILLO - UNICAMP
Notícia cadastrada em: 23/02/2011 11:07
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2020 - UFRN - sigaa03-producao.info.ufrn.br.sigaa03-producao