Banca de DEFESA: ADIELSON PEREIRA DA SILVA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : ADIELSON PEREIRA DA SILVA
DATA : 07/02/2020
HORA: 14:00
LOCAL: Auditório "E" do CCHLA
TÍTULO:

Cartografia Histórica da Vegetação do Rio Grande do Norte no Século XX: Análise Documental e Geoespacial para a Gestão do Território

 


PALAVRAS-CHAVES:

História da Cartografia. Vegetação. Gestão do Território. Rio Grande do Norte.


PÁGINAS: 204
RESUMO:

A cobertura vegetal terrestre desde muito despertou interesse da humanidade, que no decorrer dos tempos a ela se voltou de maneiras diversas para o conhecimento de suas características biológicas, ecológicas e geográficas, além da descoberta das potencialidades para sua exploração. Em meio a essa constelação de interesses, a Cartografia chega ao século XX consolidada como importante ferramenta técnicadeleitura, interpretação e planificação da cobertura do solo, servindona identificação dos grupos florísticos ena sua explicação em conjunção com os demais elementos espaciais, a partir disso servindoao atual desafio de equacionar as necessidades de utilização e preservação. Em várias ocasiões no decorrer do mencionado século, os mapas de vegetação do Rio Grande do Norte elaborados por instituições tais como a Inspetoria de Obras Contra as Secas (IOCS), a Superintendência de Desenvolvimento do Nordeste (SUDENE) e o RADAMBRASIL, dentre outros, são reflexo e processo dessa busca de conhecimento para aação planificada.Em face disso, esta dissertação se pautou no objetivo deanalisara cartografia histórica elaborada por essasinstituições, discutindo suas influências no território potiguar. Para tal, se estabeleceu uma base metodológica multirreferencialcomposta pelos preceitos da História da Cartografia, na análise do contexto dos mapas antigos, e da Análise Geoespacial, aplicada aos produtos Landsatobtidos nos últimos 16 anos do período. O exame do conjunto cartográfico apresentou os mapas de vegetação como elemento parte do meio técnico, que lança luz aos interesses espaciais da sociedade, sejam eles econômicos ou ecológicos, ao passo que os contornos do processo de antropização também são registrados. Diante disso, a empiria também reafirmou as dimensões epistemológica e teórica da cartografia – respectivamente relativas ao saber e a interpretação e análise –, uma vez que tanto as peças antigas quanto as elaboradas para o estudosustentaram a reflexão geográfica dos processos socioambientais, permitindo a compreensãodas transformações ereestruturaçõesocorridasem determinados lugares do território potiguar, cujos reflexos se observam na paisagem e na região, mas que na gestão territorial permitem ser pensados como recurso e ferramenta.


MEMBROS DA BANCA:
Externa ao Programa - 347654 - ANGELA LUCIA DE ARAUJO FERREIRA
Interno - 1149364 - LUIZ ANTONIO CESTARO
Presidente - 1530760 - RAIMUNDO NONATO JUNIOR
Externo à Instituição - RODOLFO FINATTI
Notícia cadastrada em: 24/01/2020 15:06
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2020 - UFRN - sigaa09-producao.info.ufrn.br.sigaa09-producao