Banca de QUALIFICAÇÃO: CARLOS EUGENIO DE FARIA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : CARLOS EUGENIO DE FARIA
DATA : 21/10/2019
HORA: 09:00
LOCAL: Auditório do Dep. de Geografia/CCHLA
TÍTULO:

NO TERRITÓRIO DAS ENCRUZILHADAS:As iconografias, a circulação e a reafirmação dos centros regionais Mossoró-RN e Sobral-CE


PALAVRAS-CHAVES:

Encruzilhadas -  Iconografia -  Mossoró -  Sobral -  Centro Regional


PÁGINAS: 126
RESUMO:

A presente tese está alicerçada em três dimensões da geografia contemporânea, que nos ajudam a entender o espaço geográfico, o território, os lugares, as cidades, a partir das noções de: iconografia e circulação; verticalidades e horizontalidades; situação geográfica (sítio e situação), bem comoda noção de encruzilhadas ou carrefours. Essas dimensões dos estudos geográficos estão respectivamente fundamentadas em textos de Jean Gottmann, de Milton Santos e de Maria Laura Silveira. A questão central da nossa pesquisa inquire qual a relação existente entre a condição de centro regional assumidos por Mossoró e Sobral no contexto urbano regional no qual estão inseridas e o processo de circulação e valorização das iconografias local/regional; dos fenômenos de horizontalidades e verticalidades e ainda da situação geográfica de encruzilhada e busca com o objetivo, explicar a diferenciação espacial, recorrendo metodologicamente ao estudo das iconografias, da circulação, das horizontalidades e verticalidades, bem como da situação geográfica de encruzilhadas, enquanto promotores da construção de centro regionais representadas pelas cidades de Sobral e Mossoró que se distinguem de seu entorno próximo e distante. Metodologicamente aderimos a um viés analítico e que se esforça para estar permeado de criticidade, o que, ao nosso juízo, deve ser práxis em trabalhos com caráter geográfico e humanístico, considerando alguns importantes pressupostos, quais sejam: as estruturas socioespaciais na inter-relação das partes com o todo; os processos como materialidades pretéritas, presentes e prospectivas dos acontecimentos; as formas, como retratos da realidade, postas em cada arranjo espacial; e, por fim, as funções como as tarefas ou atividades que compõem o elo relacional entre a urbanização e as diferenciações espaciais. Fizemos a escolha pelos tipos de pesquisa que apresentam as seguintes classificações: Quanto ao objeto – científica básica; quanto à forma de abordagem – qualitativa; quanto aos objetivos – descritiva e explicativa. A escolha se justifica pelo fato de estas estarem em perfeita conformidade com as ciências sociais, como é o caso da geografia e por oferecer maior condição de abrangência à investigação. Todavia, essa escolha não inviabiliza a quantificação. Não se trata de uma opção quali-quantitativa, pois a ênfase, que não renuncia a quantidade, se percebe na qualidade. Sendo assim, ancoramos nossa opção nesse arcabouço investigativo e suas nuances, detalhadas a seguir. Quanto à operacionalização das formas de pesquisa acima descritas e analisadas, a elas, atrelaremos os seguintes procedimentos técnicos: pesquisa bibliográfica, pesquisa documental e a pesquisa do tipo estudo de campo e seus desdobramentos.O conjunto das análises ao qual nos propomos obedecerá a um panorama no qual possam estar sendo investigados os componentes abstrato-formais (dimensões base dessa pesquisa) em acordo com os elementos empírico-concretos (usos do território – papel do terciário – condição de centro regional – dinâmicas urbanas, entre outros). Todo esse processo de investigação terá, nas cidades de Mossoró e Sobral, o campo de trabalho, tanto do ponto de vista do valor material (objetos) quanto do valor existencial (ações).


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 349714 - ADEMIR ARAUJO DA COSTA
Externo à Instituição - JOSE LACERDA ALVES FELIPE - UFRN
Presidente - 347943 - RITA DE CASSIA DA CONCEICAO GOMES
Notícia cadastrada em: 19/09/2019 08:49
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2020 - UFRN - sigaa13-producao.info.ufrn.br.sigaa13-producao