Banca de DEFESA: ALISSON MEDEIROS DE OLIVEIRA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : ALISSON MEDEIROS DE OLIVEIRA
DATA : 11/03/2019
HORA: 09:00
LOCAL: Auditório "C" do CCHLA
TÍTULO:

SERVIÇOS ECOSSISTÊMICOS PRESTADOS PELA COBERTURA VEGETAL NA SERRA DE JOÃO DO VALE (RN/PB)


PALAVRAS-CHAVES:

Semiárido; Ambientes serranos; Caatinga; SIG.


PÁGINAS: 146
RESUMO:

No âmbito das pesquisas sobre serviços ecossistêmicos (SE), o semiárido brasileiro tem sido abordado por importantes pesquisas de levantamento, mas para o Bioma Caatinga as informações ainda são escassas. Ainda com relação a Caatinga, esta apresenta uma diversidade de ambientes que conferem a ela fisionomias e formações vegetais heterogêneas, e dentre os diversos ambientes, dá-se destaque, na presente pesquisa, aos ambientes serranos. Com relação a produção de conhecimento acerca dos serviços ecossistêmicos prestados por sua cobertura vegetal, a situação configura-se como uma lacuna, tendo em vista a escassez de estudos e/ou dados. Nesse preocupante contexto está inserida a serra de João do Vale (RN/PB), um maciço capeado pela formação arenítica serra de Martins e recoberta pela Caatinga e por fragmentos de Floresta tropical sazonalmente seca, sendo desconhecido, para a cobertura vegetal, os seus serviços ecossistêmicos. Posto isso, o objetivo principal avaliar os serviços ecossistêmicos prestados pela cobertura vegetal na paisagem da serra de João do Vale (RN/PB). As interpretações das condições paleoambientais do semiárido do Nordeste Setentrional permitem inferir que a fisionomia da Caatinga oscilou entre savanas com condições de manter uma megafauna pleistocênica e fisionomias florestais entre 42 mil anos A.P. e 11.800 anos A.P., e infere-se que a área de estudo apresentou variações semelhantes. Sua atual fisionomia é resultado de ações humanas que começaram no século XVIII. A Caatinga arbustiva (191,8 km2 ) e a Caatinga arbórea (39,4 km2 ) apresentaram padrão de distribuição recobrindo encostas e escarpas cristalinas, e suas estruturas são fortemente influenciadas pela ação humana e a sucessão ecológica. A Floresta tropical sazonalmente seca (21,8 km2 ), inicialmente localizada nos platôs, foi devastada, restando apenas alguns fragmentos em encostas e escarpas mais declivosas e em pequenos platôs. Considerável porção destes fragmentos encontram-se em estágio de sucessão. Quanto aos serviços ecossistêmicos prestados pela cobertura vegetal de forma mais direta à comunidade, dá-se destaque aos SE de Provisão e SE Culturais, os quais tiveram informações obtidas junto aos seus moradores. Concluiu-se as fitosionomias da área de estudo prestam importantes os serviços ecossistêmicos para bem estar das comunidades humanas locais (principalmente os SE de Regulação e Manutenção), onde a abordagem utilizada nesta pesquisa tem elevado potencial auxiliar e embasar tomadas de decisão referentes a conservação de ecossistemas, bem como ações para conscientização e educação ambiental.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2966354 - DIOGENES FELIX DA SILVA COSTA
Interno - 1149364 - LUIZ ANTONIO CESTARO
Externo à Instituição - ROSEMERI MELO E SOUZA - UFS
Notícia cadastrada em: 27/02/2019 10:12
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2020 - UFRN - sigaa04-producao.info.ufrn.br.sigaa04-producao