Banca de QUALIFICAÇÃO: JULIA DINIZ DE OLIVEIRA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : JULIA DINIZ DE OLIVEIRA
DATA : 28/03/2018
HORA: 14:30
LOCAL: Sala 520 do CCHLA
TÍTULO:

GESTÃO DO TERRITÓRIO EM REGIÕES METROPOLITANAS: Indicadores das fragilidades e potencialidades da metropolização no Estado da Paraíba


PALAVRAS-CHAVES:

Região; Gestão do território; Região Metropolitana; Sistema de indicadores.


PÁGINAS: 132
RESUMO:

A ausência de uma política metropolitana efetiva e a falta de critérios claros para a delimitação de regiões metropolitanas no Brasil implica em unidades instituídas que nem sempre, guarda pertinência ao conceito de metrópole e/ou região. A partir desta realidade a presente pesquisa tem como objetivo analisar a região metropolitana enquanto estratégia de ordenamento territorial, discutindo potencialidades e fragilidades das novas formas de regionalização. Para tanto, vincula-se a uma abordagem quanti-qualitativa, na qual, as unidades serão analisadas segundo o sistema de indicadores de Cartografia, Governança, Serviços e Gestão do Território. Este documento apresenta os primeiros resultados deste trabalho, estruturado em dois capítulos, além da introdução. O primeiro capítulo situa o leitor acerca do parâmetro teórico e metodológico que sustenta a pesquisa, tomando como fio condutor a Teoria da “Geografia Nova” de Milton Santos (2009). Na tentativa de articular pensamento e ação na busca de respostas aos objetivos de investigação que queremos empreender esta pesquisa adota como pressupostos metodológicos os fundamentos da Geografia Regional de Monbeig (1957). Ademais, trabalha-se a região na perspectiva da Região Metropolitana, destacada como uma estratégia para o ordenamento do território.  A partir de dados demográficos, socioeconômicos, governamentais e de redes de uso do território, o segundo capítulo apresenta a caracterização das doze unidades territoriais instituídas no estado da Paraíba, como também, os primeiros indicadores de Cartografia. Aponta-se como resultado que a dinâmica metropolitana e do desenvolvi­mento regional, expressos enquanto “complexo geográfico”, articula os interesses de diferentes atores, grupos sociais e escalas. Além disso, verifica-se a heterogeneidade dos perímetros instituídos pelo Estado, seus limites institucionais e políticos.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 1486670 - CELSO DONIZETE LOCATEL
Interno - 967.384.054-72 - JANE ROBERTA DE ASSIS BARBOSA - UFRN
Presidente - 1530760 - RAIMUNDO NONATO JUNIOR
Notícia cadastrada em: 28/03/2018 14:15
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2020 - UFRN - sigaa07-producao.info.ufrn.br.sigaa07-producao