Banca de QUALIFICAÇÃO: ANDREZA DOS SANTOS LOUZEIRO

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : ANDREZA DOS SANTOS LOUZEIRO
DATA : 29/03/2017
HORA: 14:00
LOCAL: Auditório do Departamento de Geografia
TÍTULO:

Avaliação das áreas de risco na Ilha do Maranhão – MA (BRASIL)


PALAVRAS-CHAVES:

Risco. Inundação. Deslizamento. Ilha do Maranhão


PÁGINAS: 85
RESUMO:

A noção de risco está associada diretamente à integridade física, psicológica e/ou material de um indivíduo ou de uma sociedade. As circunstâncias do risco são acentuadas devido a existência da sociedade desordenada, que se remete a um crescimento urbano sem planejamento e fortemente relacionado com a pobreza e a degradação ambiental. Nessa perspectiva, pode-se afirmar que além do risco de ordem natural, os indivíduos mais pobres se encontram em situação de vulnerabilidade social devido suas condições socioeconômicas e infraestrutura dos locais em que vivem. Desta forma, nesta pesquisa dá-se destaque a situação em que se encontra a Ilha do Maranhão, a qual possui pontos de riscos ambientais, - muitos ou todos - localizados em áreas impróprias para moradia. Esses locais estão situados próximos a cursos hídricos fluviais e áreas de deslizamento, visto que, a maioria, são ambientes públicos e sem custo para estabelecer moradia, o que facilita a tomada de parte desses terrenos para construção de casas. Sendo assim, o objetivo desta pesquisa é avaliar a vulnerabilidade socioambiental presente na Ilha do Maranhão, considerando as áreas de risco situadas em encostas e próximas à cursos hídricos. Para alcançar esse objetivo, esta pesquisa está embasada na Teoria Geossistêmica, a qual considera a relação da dinâmica natural com as atividades antrópicas, onde aqui se destaca os eventos naturais causadores de riscos de desastres e a utilização dessas áreas pela população mais pobre. Assim sendo, a partir dos resultados preliminares obtidos, pode-se afirmar que a Ilha do Maranhão possui muitas áreas de risco, principalmente relacionados a alagamento, inundação e deslizamento. No entanto, o destaque desta pesquisa está pautado nos dois últimos, pois são os mais recorrentes, principalmente na capital, São Luís, eventos que prejudicam a boa parte da sociedade ludovicense. A situação dos demais municípios abordar-se-ão na próxima fase desta pesquisa, onde serão especializadas suas áreas e tipos de risco, bem como os indivíduos a eles expostos.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 1803535 - ADRIANO LIMA TROLEIS
Interno - 2966354 - DIOGENES FELIX DA SILVA COSTA
Presidente - 1503011 - LUTIANE QUEIROZ DE ALMEIDA
Notícia cadastrada em: 13/03/2017 14:29
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2020 - UFRN - sigaa09-producao.info.ufrn.br.sigaa09-producao