Banca de QUALIFICAÇÃO: RAÍSA BARBOSA DE ANDRADE

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : RAÍSA BARBOSA DE ANDRADE
DATA : 22/11/2018
HORA: 08:00
LOCAL: Qualificação por parecer
TÍTULO:

ANÁLISE DO PREENCHIMENTO DA CADERNETA DA GESTANTE E SEGUIMENTO DAS RECOMENDAÇÕES DO MINISTÉRIO DA SAÚDE


PALAVRAS-CHAVES:

Cuidado Pré-natal. Registros de Saúde Pessoal. Registros de Enfermagem. Registros Médicos.


PÁGINAS: 63
RESUMO:

Introdução: A caderneta da gestante é um instrumento importante de registro que deve sempre estar em posse da gestante. Toda assistência à gestante deve estar devidamente registrada na caderneta, pois esse registro, bem como a qualidade dos mesmos, reflete a prática assistencial e serve de parâmetros para nortear as decisões seguintes. Por meio de tal registro é possível também acompanhar o seguimento de diretrizes para a assistência pré-natal e identificar necessidades de políticas que melhorem a qualidade da assistência. Objetivo: Avaliar o preenchimento do cartão/caderneta da gestante de puérperas que realizaram acompanhamento do pré-natal ao pós-parto em municípios da Região do Trairi do estado do Rio Grande do Norte. Metodologia: Trata-se de um estudo de natureza avaliativa, com caráter exploratório descritivo e abordagem quantitativa. A amostra é composta por mulheres assistidas no pré-natal nos municípios Santa Cruz, Lajes Pintadas, Tangará, Campo Redondo e São Bento do Trairi, que compõem a região do Trairi do estado do Rio Grande do Norte, e que fazem parte do projeto AMOR (Adolescence and Motherhood Research). A coleta de dados seguiu protocolo padronizado: avaliação de dados sociodemográficos, avaliação da caderneta/cartão da gestante quanto ao preenchimento e quanto ao seguimento das recomendações estabelecidas pelo Ministério da Saúde. Resultados: A amostra analisada atualmente é composta de 40 puérperas e apresenta maior proporção de adolescentes (57,5%), de mulheres casadas ou em união estável (75,0%), que possuem até o ensino médio completo (90,0%) e que a gravidez não foi planejada (45,0%). Todas as 15 categorias analisadas neste estudo apresentam falha quanto ao preenchimento, sendo que as de “suplementação de ácido fólico” e “participação em atividade educativa” apresentam os menores percentuais (5,0% e 5,4% respectivamente). Apenas os exames de ABO/Rh e USG obstétrico foram realizados por toda a amostra, e nenhum item entre os indicadores estratégicos da Rede Cegonha atingiu proporção de 100%. O exame como maior proporção de realização dentro do período gestacional estabelecido pela Rede Cegonha foi o de hemoglobina/hematócrito (36,0%) e o exame de urocultura foi o menos realizado pelas gestantes da amostra com percentual de 22,5%. Conclusão: É notório observar que o preenchimento adequado e o seguimento das recomendações estabelecidas durante o pré-natal ainda são pontos fragilizados apesar dos inúmeros esforços do Ministério da Saúde para ofertar uma assistência humanizada, integral e resolutiva que atinjam os objetivos de reduzir os altos índices de mortalidade materna e infantil.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 3885543 - SAIONARA MARIA AIRES DA CAMARA
Interno - 1652946 - RAFAELA CAROLINI DE OLIVEIRA TAVORA
Externo à Instituição - MARLOS RODRIGUES DOMINGUES - UFPel
Notícia cadastrada em: 14/11/2018 16:20
SIGAA | Superintendência de Informática - (84) 3215-3148 | Copyright © 2006-2019 - UFRN - sigaa05-producao.info.ufrn.br.sigaa05-producao