Banca de QUALIFICAÇÃO: ROBERTA KEILE GOMES DE SOUSA MANSO

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : ROBERTA KEILE GOMES DE SOUSA MANSO
DATA : 12/11/2018
HORA: 09:00
LOCAL: FACULDADE DE CIÊNCIAS DA SAÚDE DO TRAIRI
TÍTULO:

A PERCEPÇÃO DA SATISFAÇÃO COM O SUPORTE SOCIAL E A RELAÇÃO COM A QUALIDADE E DURAÇÃO DO SONO, SONOLÊNCIA DIURNA, ANSIEDADE E DEPRESSÃO EM ADOLESCENTES


PALAVRAS-CHAVES:

Adolescência; apoio social; ciclo sono/vigília; sonolência excessiva; saúde mental.


PÁGINAS: 50
RESUMO:

Na adolescência ocorrem inúmeras mudanças fisiológicas e sociais que podem acarretar prejuízos à saúde do adolescente. Nesta fase muitos adolescentes buscam construir e fortalecer uma rede de suporte social, o qual é definido pela quantidade e disponibilidade de amigos, familiares, vizinhos e grupos sociais em que se pode confiar e se sentir apoiado. Além disso, apresentam privação e má qualidade de sono, e sonolência diurna e sintomas de ansiedade e depressão. Considerando que os adolescentes apresentam inúmeros problemas de sono e ansiedade e depressão e que o suporte social está relacionado com a saúde, o objetivo deste trabalho é analisar a relação entre a percepção da satisfação com o suporte social, com a qualidade e duração do sono, sonolência diurna e ansiedade e depressão em adolescentes de uma instituição federal de ensino. A amostra foi de 385 estudantes do ensino médio de cursos técnicos, que preencheram a Escala de Satisfação com o Suporte Social, o Índice de Qualidade do Sono de Pittsburgh, a Escala Pediátrica de Sonolência Diurna, a Escala de ansiedade e depressão e a Ficha de Identificação de problemas de saúde. A idade média dos participantes foi de 16,3 ± 1,0 anos, de ambos os sexos (♂ = 43,1%, ♀ = 56,9%) que estudam no turno da manhã (55,3%) e no turno da tarde (44,7%). Os adolescentes apresentaram uma média de suporte social geral de 47,6 ± 12,1, sendo a satisfação com os amigos a mais favorecida (17,30 ± 4,74) e a satisfação com as atividades sociais a mais prejudicada (7,59 ± 2,98). A má qualidade do sono foi observada na maioria (71%) dos adolescentes, com média de 7,17 ± 2,72. Na avaliação da sonolência diurna foi observada uma média de 18,31 ± 4,90. O tempo na cama foi de 6:42 ± 1:18 h, e a hora de levantar e deitar foram 6:25 ± 1:28 h e 23:06 ± 1:25 h, respectivamente. De acordo com as correlações realizadas, foi observado que quanto menor a percepção com o suporte social, pior a qualidade de sono (r= -0,42), maior a sonolência diurna (r= -0,34), menor a duração do sono (r= 0,15), mais cedo o estudante acorda (r= 0,10) e maior a chance dos adolescentes desencadearem sintomas de ansiedade (r= -0,52) e depressão (r= -0,60). Os resultados obtidos indicam correlações moderadas a fortes entre o suporte social com problemas de sono, ansiedade e depressão. A partir destes resultados, vale ressaltar a importância de desenvolver estratégias que possam contribuir com a melhoria do suporte social, com o intuito de diminuir os problemas de sono e de saúde mental em adolescentes, visando uma melhor qualidade de vida. 


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1110960 - JANE CARLA DE SOUZA
Interno - 2132107 - NUBIA MARIA FREIRE VIEIRA LIMA
Externo à Instituição - PAULA ROCHA DE MELO
Notícia cadastrada em: 07/11/2018 08:21
SIGAA | Superintendência de Informática - (84) 3215-3148 | Copyright © 2006-2019 - UFRN - sigaa11-producao.info.ufrn.br.sigaa11-producao