Banca de DEFESA: ADILLA CONCEICAO BRITO DE AZEVEDO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : ADILLA CONCEICAO BRITO DE AZEVEDO
DATA : 28/02/2018
HORA: 09:00
LOCAL: Sala de Reunião, Bloco 2, FACISA
TÍTULO:

Avaliação do Contexto de Trabalho, Qualidade de Sono e Sonolência Diurna de Professores do Ensino Médio da Rede Pública no Interior do Rio Grande do Norte


PALAVRAS-CHAVES:

Condições de trabalho, Relações socioprofissionais, Organização do trabalho, Ciclo sono/vigília, Saúde do Trabalhador


PÁGINAS: 34
RESUMO:

O trabalho, em seu contexto social e financeiro, vai além de um meio de sobrevivência. Os professores possuem a responsabilidade de contribuir para que os alunos se tornem cidadãos capazes de reconhecer e se conscientizar sobre seu próprio papel diante da sociedade. Entretanto, a função docente é relacionada à sobrecarga e condições inadequadas de trabalho, a contexto de violência na escola, entre outros problemas característicos desta profissão. Somado a isso, torna-se cada vez mais comum a presença de problemas de saúde, incluindo os relacionados ao sono. Portanto, o objetivo principal deste estudo foi avaliar o contexto de trabalho, os horários e qualidade de sono, e a sonolência diurna de professores do ensino médio da rede pública da região do Trairi do Rio Grande do Norte. Além disso, o objetivo secundário foi avaliar a relação entre o contexto de trabalho com a qualidade de sono e sonolência diurna destes professores. Para isso, foi realizada a aplicação de uma Ficha de identificação; da Escala de avaliação do contexto de trabalho (EACT), a partir de fatores, condição do trabalho (F1), organização do trabalho (F2) e relações socioprofissionais (F3); do Índice de qualidade do sono de Pittsburgh (IQSP) e da Escala de sonolência de Epworth (ESE) para 61 professores de ambos os sexos com idade de 39,7 ± 9,2 anos. Os fatores “condições de trabalho” e “organização do trabalho” foram avaliados como crítico/grave pela maioria dos professores, enquanto as “relações socioprofissionais” foi considerada satisfatória pela metade da população do estudo. A maioria dos itens relacionados a estes fatores foram avaliados como crítico/grave, tais como, condições de trabalho precária, ambiente físico desconfortável, ritmo de trabalho, tarefas cumpridas sobre pressão, autonomia inexistente e comunicação pobre entre chefia e subordinado. Além disso, 69% dos professores apresentaram má qualidade de sono e 49% sonolência diurna excessiva. Com relação à qualidade do sono de acordo com a avaliação do contexto de trabalho, observou-se que os professores que avaliaram as relações socioprofissionais como crítico/grave (mean rank 36,11) têm maior chance de ter uma má qualidade de sono em relação aos que avaliaram como satisfatório (mean rank 26,94 - U = 321, p < 0,05). Com relação ao sexo, a má qualidade de sono está presente em 69% de ambos os sexos (X² = 0,00; p > 0,05), enquanto que a sonolência diurna excessiva é mais frequente nas mulheres (55%) em relação aos homens (44% - X² = 4,88; p < 0,05). A hora de deitar dos professores foi em média às 23:26 ± 1:25h, a hora de acordar às 6:06 ± 1:16h e as horas de sono dormidas durante a noite foram 6:10 ± 1:07h. Através do teste de Mann-Whitney percebe-se que os professores com pior qualidade de sono (mean rank 26,56) dormem 36 minutos a menos (5:58 ± 1:06h) do que os professores com boa qualidade (6:34 ± 1:04h; mean rank 35,53 – U = 256,00; p < 0,05). Estes resultados têm grande importância no conhecimento do contexto de trabalho do professor, reforçando a necessidade de se criar espaços de discussão e possíveis propostas de elaboração de políticas voltadas a esse profissional, que auxiliem no suprimento de necessidades elencadas pelo próprio trabalhador. Além disso, torna-se necessário realizar mais estudos que tentem esclarecer quais fatores relacionados ao contexto de trabalho podem estar contribuindo para a má qualidade de sono e sonolência diurna presente nestes profissionais.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1110960 - JANE CARLA DE SOUZA
Interno - 1652946 - RAFAELA CAROLINI DE OLIVEIRA TAVORA
Externo à Instituição - ALINE SILVA BELISIO - UNIFACEX
Notícia cadastrada em: 19/02/2018 08:21
SIGAA | Superintendência de Informática - (84) 3215-3148 | Copyright © 2006-2019 - UFRN - sigaa02-producao.info.ufrn.br.sigaa02-producao