Banca de DEFESA: RENATA FONSÊCA SOUSA DE OLIVEIRA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : RENATA FONSÊCA SOUSA DE OLIVEIRA
DATA : 26/02/2018
HORA: 10:00
LOCAL: Sala de reuniões - Bloco II da FACISA
TÍTULO:

MELHORIA DO ACESSO E DA QUALIDADE DA ATENÇÃO BÁSICA: ENTRE VOZES E OLHARES


PALAVRAS-CHAVES:

Atenção Primaria à Saúde. Avaliação de Programas e Projetos de Saúde. Recursos Humanos em Saúde. Sistema Único de Saúde.


PÁGINAS: 52
RESUMO:

INTRODUÇÃO: Para fortalecer a Política Nacional de Atenção Básica, no ano de 2011 foi instituído o Programa Nacional de Melhoria do Acesso e da Qualidade da Atenção Básica (PMAQ/AB) com o intuito de mobilizar atores locais, qualificar as práticas de gestão, ampliar o acesso e induzir mudanças nas condições de funcionamento dos serviços de saúde. OBJETIVO: Analisar a percepção de gestores municipais de saúde e trabalhadores da atenção básica acerca do Programa Nacional de Melhoria do Acesso e da Qualidade da Atenção Básica. METODOLOGIA: Trata-se de um estudo do tipo descritivo e exploratório, com abordagem qualitativa. Incluíram-se no estudo gestores ou integrantes da gestão municipal de saúde responsáveis pela condução do PMAQ nos municípios investigados, assim como trabalhadores da APS de nível superior, pertencentes a ESF que tenham participado do 2º ciclo do PMAQ, em 2014. Participaram do estudo um total de 43 sujeitos, dos quais foram 6 gestores e/ou representantes da gestão e 36 profissionais da Atenção Básica. Para a coleta de informações, foram utilizadas duas técnicas: o grupo focal e a entrevista semiestruturada. Assim, durante a análise, emergiram três núcleos temáticos: Vozes e olhares acerca do PMAQ”; “Impactos produzidas nos serviços de saúde a partir da vivência no PMAQ: entrelaçando múltiplos olhares” e “Fragilidades do PMAQ: O caminhar para avançar”. O estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa da Faculdade de Ciências da Saúde/ FACISA, tendo como número de Parecer 1.707.601. RESULTADO E DISCUSSÃO: O PMAQ caracteriza-se como um instrumento orientador das ações e serviços de saúde, favorecendo o norteamento, aprimoramento e introduzindo mudanças no processo de trabalho. Alguns desafios apresentados foram insatisfação na alocação dos incentivos financeiros provenientes do programa, aumento de tarefas e descontinuidade das ações praticadas. Conclusão: O PMAQ permitiu subsidiar a coprodução de novos arranjos e redirecionamentos para o fortalecimento dos programas pertencentes à Atenção Básica em Saúde.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2724246 - CECILIA NOGUEIRA VALENCA
Interno - 1652946 - RAFAELA CAROLINI DE OLIVEIRA TAVORA
Externo à Instituição - CRISTYANNE SAMARA MIRANDA DE HOLANDA DA NÓBREGA - UERN
Notícia cadastrada em: 07/02/2018 21:25
SIGAA | Superintendência de Informática - (84) 3215-3148 | Copyright © 2006-2019 - UFRN - sigaa05-producao.info.ufrn.br.sigaa05-producao