Banca de DEFESA: CECÍLIA MARIA MEDEIROS DANTAS DE MELO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : CECÍLIA MARIA MEDEIROS DANTAS DE MELO
DATA : 10/03/2017
HORA: 14:30
LOCAL: Auditório 03 do NEPSA II do CCSA/UFRN
TÍTULO:

REMUNERAÇÃO DE EXECUTIVOS E PERSISTÊNCIA DO DESEMPENHO ECONÔMICO-FINANCEIRO: UM ESTUDO NO MERCADO ACIONÁRIO BRASILEIRO


PALAVRAS-CHAVES:

Remuneração de Executivos. Persistência do desempenho. Controle acionário.


PÁGINAS: 67
RESUMO:

Os estudos sobre remuneração de executivos têm sido foco de bastante discussão no meio acadêmico e no mercado. Na perspectiva da Teoria da Agência, o tema constitui um dos mecanismos de alinhamento de interesses entre principal e agente, capaz de minimizar os conflitos existentes entre essas duas classes. Para isso, associa-se ao desempenho a fim de mitigar os custos de agência e, consequentemente, evitar perdas aos acionistas. Assim, nesta relação, é importante considerar a persistência dos resultados, dado que o desempenho atual é um indicativo para o desempenho futuro. Esta pesquisa busca analisar se a remuneração dos executivos exerce influência na persistência do desempenho das empresas listadas na BM&FBOVESPA. Para atingir este objetivo, foi utilizado um modelo econométrico com as variáveis – lucro operacional, remuneração fixa, bônus, participação nos lucros, pagamento baseado em ações, tamanho, alavancagem e grau de responsabilidade social, para uma amostra de cento e quatro empresas abertas, no período de 2011 a 2015, cujas informações estão disponíveis na base de dados da Bloomberg. Utilizou-se, como ferramenta estatística, uma abordagem de painel dinâmico por estimação pelo Método dos Momentos Generalizados de Sistema (GMM-SYS), de Arellano e Bover (1995) e Blundell e Bond (1998). Os resultados mostram que apenas as empresas de controle familiar não apresentaram resultados persistentes. Quanto à remuneração, observou-se que a parcela fixa contribui para a redução da persistência no desempenho das companhias de controle institucional, enquanto na ausência de controle há relação positiva. Além disso, verificou-se que o pagamento de bônus faz com que os resultados sejam mais persistentes nos controles institucional e familiar. Por outro lado, a participação nos lucros apresentou uma relação negativa com o lucro operacional no ano anterior nas companhias de controle familiar. Já o pagamento baseado em ações influencia na geração de lucros mais persistentes apenas quando o controle é do tipo familiar ou difuso, divergindo dos achados de Baber, Kang e Kumar (1998) e Ashley e Yang (2004), em que não foi observada significância de tal variável. Constatou-se, ainda, que variáveis como tamanho e responsabilidade social contribuem para elevar a persistência dos lucros, enquanto a alavancagem contribui para a sua redução. 


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1561014 - ADILSON DE LIMA TAVARES
Interno - 1543333 - ANDERSON LUIZ REZENDE MOL
Externo à Instituição - WENNER GLAUCIO LOPES LUCENA - UFPB
Notícia cadastrada em: 09/03/2017 15:51
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - (84) 3342 2210 | Copyright © 2006-2023 - UFRN - sigaa08-producao.info.ufrn.br.sigaa08-producao