Banca de QUALIFICAÇÃO: KALINE MURIEL DE FIGUEIREDO GOMES

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: KALINE MURIEL DE FIGUEIREDO GOMES
DATA: 16/05/2013
HORA: 16:00
LOCAL: SALA DE AULA DO PREDIO DO LARHISA
TÍTULO:

.


PALAVRAS-CHAVES:

Modelagem, Poluição Difusa, SWMM.


PÁGINAS: 25
GRANDE ÁREA: Engenharias
ÁREA: Engenharia Sanitária
SUBÁREA: Recursos Hídricos
RESUMO:

A poluição difusa decorrente da drenagem urbana consiste em fonte significativa de poluição dos corpos d'água de bacias urbanas. Esses poluentes são gerados em toda a área da bacia, de forma que, quando associados às precipitações pluviométricas, são carreados para as águas de superfície.

Segundo Barco et. al. (2003) a poluição das águas pluviais ocorre principalmente no sistema de drenagem; nas precipitações intensas, carreia grande carga de poluentes para os corpos d'água. Esse transporte se torna complexo devido à deposição de sedimentos e resíduos sólidos na bacia e pela dinâmica hidráulica com que os poluentes são transportados pelo escoamento.

Estudos envolvendo a análise da qualidade das águas pluviais são necessários para que se possa realizar o manejo, com possibilidade da utilização das águas pluviais como recursos hídricos e seu aproveitamento no abastecimento de água, na recarga de aquífero, em jardinagem, na limpeza publica etc.

Diante da complexidade da dinâmica de ocupação do espaço urbano, existe a necessidade de se buscar mecanismos que possibilitem dar respostas rápidas e de baixo custo no que se refere à qualidade dos deflúvios superficiais e que envolvam os estágios de desenvolvimento urbano de uma bacia urbana. Aliada à complexidade de ocupação da bacia, há em geral escassez de dados meteorológicos e hidráulicos nas bacias urbanas e a existência de problemas quando se consideram as dificuldades em se criar mecanismos para monitoramento da qualidade da água de drenagem com base científico-teórica, em que se busca melhor compreender os fenômenos da poluição difusa.

A utilização de ferramentas de modelagem pode ser capaz de estimar eventos pluviométricos, de deflúvios, bem como, cargas poluidoras advindas do escoamento superficial. Os modelos podem ser usados ainda como ferramentas para avaliar estratégias de controle, visando à melhoria das condições ambientais e a qualidade de corpos de água receptores.

A variabilidade das respostas das variáveis hidrológicas leva à avaliação dos sistemas de drenagem quando se dispõe de uma série de dados quali-quantitativos, o que nem sempre acontece com o monitoramento usual da bacia.

Assim, na tentativa de suprir possíveis falhas dos dados ou mesmo, de estarem em quantidades insuficientes para a análise, adota-se a previsão de respostas do meio diante de possíveis ações que possam causar alterações sobre esse meio.  

Os modelos descrevem as interações entre os processos físicos, químicos e biológicos, tornando-se possível avaliar novas respostas dos sistemas frente às situações diferentes das observadas em dados de series históricas. Com os modelos, podem ainda ser testadas medidas de controle e cenários alternativos para a bacia hidrográfica, no que se refere ao uso do solo ou a modificações no sistema de drenagem.

Um dos modelos mais utilizados para a simulação em sistemas de drenagem urbana é o Storm Water Management Model (SWMM), sendo considerado um dos mais detalhados e abrangentes modelos computacionais utilizados para simular quali-quantitativamente os deflúvios de áreas urbanas (GARCIA, 2005).

Com esse modelo é possível prever com precisão cargas de contaminantes ao longo do tempo de vários eventos pluviométricos, a partir de parâmetros de ajustes preliminares do modelo, como parâmetros hidráulicos, hidrológicos, de qualidade, uso e ocupação do solo, intervalos de varrição das ruas, etc. Tsihrintzis & Hamid (1997), porém, consideram que o modelo SWMM possui pouca precisão quando aplicado a eventos de precipitação individuais.

Por ser de domínio público e permitir modificações em seu código de programação, o SWMM se tornou o modelo mais utilizado em simulações dessa natureza. Todavia, Righetto et al. (2009) afirmam que a utilização desse modelo em bacias urbanas brasileiras ainda não apresenta uma grande difusão se comparado ao observado em alguns estudos internacionais.

Righetto et al. (2009) realizaram um estudo quali-quantitativo de manejo das águas pluviais urbanas em uma área de drenagem piloto da cidade de Natal. O trabalho estudou a hidrologia urbana em duas bacias pilotos da cidade, as Bacias Mirassol e Cidade Jardim, no intuito de caracterizar a transformação chuva - vazão -qualidade. O projeto seguiu duas frentes principais de atividades: a caracterização hidrológica, hidrogeológica e ocupacional da área, levantamentos de parâmetros, monitoramento hidrológico e modelagem hidrológica; e o estudo da qualidade das águas pluviais por meio de monitoramento e de modelagem, ressalta-se que apenas para DQO foi analisada.

Ressalta-se que pesquisas envolvendo a qualidade dos deflúvios superficiais são relativamente recentes na hidrologia urbana, constituindo-se em mudança de paradigma, no sentido de focar a qualidade juntamente com a quantidade e a mitigação das inundações. O objetivo principal desse ramo científico é o de propiciar o conhecimento da dinâmica das interações entre as atividades de desenvolvimento, ocupação e uso do espaço urbano com, a qualidade ambiental, a qualidade de vida da população, com o enfoque da água pluvial como recurso hídrico (RIGHETTO et al., 2009).

Esta pesquisa possui grande relevância, uma vez que os resultados obtidos poderão ser utilizados para a tomada de decisão no manejo das águas pluviais. Portanto, este trabalho é justificado pela necessidade de se obter informações com confiança dos resultados, no que se refere à qualidade da água dos deflúvios superficiais na área da bacia piloto de Mirassol, de modo prático e com baixo custo.

Com o uso do modelo SWMM, ajustado às condições da bacia piloto, será possível avaliar as respostas do sistema frente a eventos pluviométricos com diferentes magnitudes.

As informações obtidas na bacia piloto de Mirassol terão importância para o conhecimento científico, uma vez que os dados poderão eventualmente ser utilizados para outras bacias de características semelhantes (Clima, relevo, uso e ocupação, etc.) às da bacia estudada, onde seja identificada a escassez de dados qualitativos. Lerner et. al. (1990) afirma que muitas vezes é melhor transpor dados de uma região semelhante em outro lugar do que depender de estimativas.

Portanto, o objetivo geral deste trabalho é calibrar um modelo às condições reinantes em uma bacia experimental urbana situada na cidade de Natal, a fim de que o modelo possa fornecer resultados confiáveis numa simulação da propagação de poluentes na bacia em estudo. Como objetivos específicos, cita-se: 1)Monitoramento da bacia no período seco, 2)Monitoramento no período chuvoso,.

Para isso, será utilizado o modelo SWMM, que permitirá com dados de caracterização da bacia a simulação de cargas difusas.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1354593 - ANTONIO MAROZZI RIGHETTO
Interno - 1759777 - ADELENA GONCALVES MAIA
Interno - 347974 - JOAO ABNER GUIMARAES JUNIOR
Notícia cadastrada em: 15/05/2013 09:08
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2020 - UFRN - sigaa01-producao.info.ufrn.br.sigaa01-producao