Banca de DEFESA: FERNANDA JUCÁ DE MEDEIROS ARAÚJO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : FERNANDA JUCÁ DE MEDEIROS ARAÚJO
DATA : 29/05/2020
HORA: 09:00
LOCAL: Videoconferência
TÍTULO:

SIMULAÇÃO DA TEIA TRÓFICA DE UM RESERVATÓRIO NO SEMIÁRIDO EM CENÁRIOS DE ALTERAÇÕES DE NUTRIENTES E ESFORÇO PESQUEIRO


PALAVRAS-CHAVES:

Teia trófica. Ecopath. Modelagem ecológica. Abordagem ecossistêmica.


PÁGINAS: 41
RESUMO:

Reservatórios são ecossistemas aquáticos que têm papéis importantes para as populações humanas devido aos seus usos múltiplos. Em regiões tropicais semiáridas, onde a escassez de água é uma constante, esses ecossistemas são ainda mais requisitados e, portanto estão sujeitos a diversos tipos de perturbações antrópicas como pesca, poluição mas principalmente abastecimento de cidades e dessedentação animal. Além disso, ocorrem as alterações naturais provocadas pelo próprio clima da região como aumento da temperatura e longos períodos de estiagem. Essas perturbações levam a alterações da estrutura e funcionamento destes ambientes, podendo causar degradação ambiental e deterioração da qualidade da água. O entendimento das teias tróficas nos ambientes aquáticos de clima semi-árido pode auxiliar nas decisões de manejo que visem à melhoria da qualidade de água dos reservatórios dessa região. O objetivo deste trabalho foi quantificar a teia trófica de um pequeno reservatório no semiárido brasileiro à fim de descrever os mecanismos (drivers) principais que atuam na estrutura e dinâmica deste ecossistema. Para isso, utilizamos o software Ecopath with Ecosim para quantificar a teia trófica do reservatório localizado na Estação Ecológica do Seridó (ESEC) na região semiárida do Nordeste brasileiro. Nós fizemos três modelos com o mesmo conjunto de dados (maio de 2012 a abril de 2014): um modelo anual e dois modelos mensais com algumas diferenças entre eles. Simulações temporais foram realizadas nos dois modelos mensais a fim de mimetizar a dinâmica de nutrientes e plâncton. As simulações foram testadas com duas variáveis forçantes (fósforo e radiação) e sob diferentes cenários de impactos (alteração na carga de nutrientes e remoção de peixes). Os resultados da modelagem indicaram que o reservatório da ESEC é um ecossistema cuja maior parte da energia vem da cadeia de detritos, com alta produtividade primária, de baixa resiliência e que apesar de as espécies-chave serem predadores de topo, estas parecem não influenciar muito a dinâmica do plâncton, mostrando uma dinâmica de controle ascendente (bottom-up) e corroborando com os resultados de um experimento de biomanipulação realizado no reservatório na mesma época da coleta de dados.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1177742 - RONALDO ANGELINI
Interna - 1764855 - VANESSA BECKER
Externo à Instituição - LUIS ARTUR VALÕES BEZERRA
Notícia cadastrada em: 18/05/2020 10:44
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2020 - UFRN - sigaa03-producao.info.ufrn.br.sigaa03-producao