Banca de DEFESA: MISLAINY MAYANA MOURA ARAÚJO SILVA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : MISLAINY MAYANA MOURA ARAÚJO SILVA
DATA : 01/08/2018
HORA: 09:30
LOCAL: Auditório da Eng. Ambiental - Sala 212 (CTEC/UFRN)
TÍTULO:

AVALIAÇÃO DO COMPORTAMENTO DE CISTERNAS DIMENSIONADAS PELO MÉTODO DE ANDRADE NETO EM REGIÕES DE DIFERENTES REGIMES PLUVIAIS NO RIO GRANDE DO NORTE


PALAVRAS-CHAVES:

Água de chuva,.Dimensionamento de cisternas. Equação empírica.


PÁGINAS: 51
RESUMO:

No contexto de escassez hídrica, sobretudo na região semiárida, torna-se de suma importância a busca por soluções alternativas que possibilitem o aumento da disponibilidade hídrica, dentre as quais se encontra o emprego de cisternas para captação de água de chuva. Tendo em vista evitar o sub ou superdimensionamento dessas cisternas, seu dimensionamento deve ser feito de forma criteriosa para cada caso específico, adotando-se um método de cálculo eficiente e considerando-se, entre outros fatores, a área de captação, a demanda e a variabilidade temporal da precipitação. Assim, o objetivo desta pesquisa consistiu em se avaliar o comportamento de cisternas dimensionadas pelo método de Andrade Neto em regiões de diferentes regimes pluviais no Rio Grande do Norte, bem como desenvolver uma equação empírica para o dimensionamento das cisternas, derivada deste método. Para este fim, fez-se uso do índice de eficiência para a avaliação do comportamento das cisternas, considerando-se diferentes cenários de área de telhado e demanda.  As simulações resultaram em cisternas de maior volume para a região central do estado e menores volumes para a região oeste, mostrando-se mais eficientes nas situações em que a área de telhado foi superior a 50 m²; e menos eficientes para cenários com áreas de telhado inferiores a 100 m² e demandas superiores a 100 l.dia-1. Além disso, verificaram-se também baixas eficiências para regiões onde não há déficit crítico mensal, considerando o volume potencial de água de chuva captável e a demanda, devendo nesses casos ser adotado um volume mínimo correspondente à demanda mensal necessária. A respeito da equação empírica para o dimensionamento das cisternas, a obtenção de uma equação para cada um dos grupos correspondentes às zonas pluviais homogêneas do estado mostrou-se mais adequada, sendo as variáveis selecionadas como mais relevantes para o dimensionamento de sistemas de captação de água de chuva a demanda, precipitação anual, precipitação crítica e grau de concentração da precipitação.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1759777 - ADELENA GONCALVES MAIA
Interno - 2190974 - JOANA DARC FREIRE DE MEDEIROS
Externo à Instituição - JOSEMIR ARAÚJO NEVES - EMPARN
Notícia cadastrada em: 25/07/2018 09:48
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2020 - UFRN - sigaa03-producao.info.ufrn.br.sigaa03-producao