Banca de DEFESA: PAULA RAFAHELA SILVA DOS SANTOS

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : PAULA RAFAHELA SILVA DOS SANTOS
DATA : 20/06/2018
HORA: 14:00
LOCAL: Sala de Videoconferência 04 - IMD
TÍTULO:

AVALIAÇÃO DE COMPOSTOS INORGÂNICOS E ORGÂNICOS EM SEDIMENTO DE RODOVIA DA REGIÃO METROPOLITANA DE NATAL (RN)



PALAVRAS-CHAVES:

SDR. Sedimento rio Pitimbu. HPAs. N-Alcanos e Metais.


PÁGINAS: 79
RESUMO:

O sedimento depositado na rodovia (SDR) representa um risco potencial à saúde humana e ao ambiente aquático, pois está associado a uma vasta gama de poluentes de origem orgânica e inorgânica. Os poluentes associados ao SDR objeto deste estudo foram os metais pesados e os compostos orgânicos como n-alcanos e hidrocarbonetos policíclicos aromáticos (HPAs). Esses poluentes são derivados de emissões veiculares, partículas de escapamentos, resíduos de óleos lubrificantes, pneus, freios, lataria, resíduos de asfalto e desgastes do pavimento. O rio Pitimbu atravessa a região metropolitana de Natal-RN, onde é interceptado por três rodovias de tráfego intenso. Nos pontos de interceptação com o rio, o escoamento superficial associado à precipitação transfere o SDR para o ambiente fluvial. O objetivo desta pesquisa foi avaliar a presença de compostos orgânicos e inorgânicos em amostras de SDR em áreas de descarga dos escoamentos na calha do rio Pitimbu, região metropolitana de Natal, Brasil. Foram analisadas amostras de SDR e sedimentos do leito fluvial, coletadas em agosto e dezembro de 2017. As substâncias contaminantes avaliadas foram metais pesados (Cd, Cr, Cu, Fe, Mn, Ni, Pb e Zn), compostos orgânicos n-Alcanos e 16 Hidrocarbonetos Policíclicos Aromáticos (HPAs) considerados prioritários. A análise dos metais foi realizada por Espectrofotometria de Absorção Atômica modo chama (FAAS) e os n-Alcanos e HPAs por Cromatografia a Gás acoplado a um detector espectrômetro de massa (CG-MS). Além disso, investigou-se uma possível correlação entre essas substâncias e o sedimento (SDR e leito fluvial). As concentrações observadas para os metais foram (em mg/kg): cobre (33,93 ± 40,51), cádmio (0,77 ± 1,87), chumbo (36,43 ± 39,12), cromo (9,8 ± 13,28), manganês (42,18 ± 43,00), zinco (25,60 ± 44,41), ferro (10373 ± 6976) e níquel (<LQ). A soma total dos n-alcanos (nC8 a nC39) variou entre 6,04-42,88 mg/kg. A avaliação da correlação de Pearson, mostrou que os metais Cu, Mn, Fe, Pb, Cr e Zn estavam correlacionados, indicando que o aporte destes compostos provem de fontes em comum. Os n-Alcanos nas amostras apresentaram perfis de distribuição marcados pela presença de cadeias de baixo (n-C8 a n-C15) e alto (n-C20 – n-C39) peso molecular. O IPC revelou que todas as amostras receberam contribuições de n-alcano originado de fontes petrogênicas e biogênicas. A concentração total dos HPAs variou entre 0,221-2,789 mg/kg. Os valores médios encontrados para os HPAs individuais neste estudo mostraram que estes compostos estão com as concentrações abaixo do valor máximo permitido no nível 2, da resolução CONAMA 454/12. Este estudo revelou a existência de aporte de origem antrópica (veicular) nas amostras avaliadas, com potencial capacidade de contaminação do ambiente fluvial.


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 1913849 - EDGAR PERIN MORAES
Externo à Instituição - EDSON CEZAR WENDLAND - USP
Externo à Instituição - GLAUBER JOSE TUROLLA FERNANDES - CTGás
Presidente - 1242829 - LUCIO FLAVIO FERREIRA MOREIRA
Externo à Instituição - MARCO ANTÔNIO CALAZANS DUARTE - IFRN
Notícia cadastrada em: 19/06/2018 10:40
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2020 - UFRN - sigaa16-producao.info.ufrn.br.sigaa16-producao