Banca de QUALIFICAÇÃO: LARISSA CAROLINE SARAIVA FERREIRA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: LARISSA CAROLINE SARAIVA FERREIRA
DATA: 29/05/2015
HORA: 10:00
LOCAL: SALA DE AULA DO PREDIO DO LARHISA
TÍTULO:

REMOÇÃO DE NUTRIENTES DE ESGOTOS EM MEMBRANAS DE NANOFILTRAÇÃO E OSMOSE INVERSA E APROVEITAMENTOS DOS CONCENTRADOS COMO ADUBO LÍQUIDO


PALAVRAS-CHAVES:

gerenciamento de concentrado, rejeito de membranas, eficiência de remoção, fertilizante líquido


PÁGINAS: 22
GRANDE ÁREA: Engenharias
ÁREA: Engenharia Sanitária
RESUMO:

Membranas filtrantes têm sido utilizadas no pós-tratamento de esgotos tanto pela viabilização de sistemas compactos de tratamento quanto pela elevada qualidade da água produzida, o que promove o reúso da água para diversos fins. A corrente líquida do concentrado, gerada no processo de separação, necessita de uma disposição adequada, uma vez que contém todos os poluentes removidos pela membrana. Considerando que os esgotos possuem elevada concentração de nutrientes, que as reservas de fósforo disponíveis estão se esgotando e que o nitrogênio fertilizante é produzido com alto custo energético, o objetivo desse trabalho é avaliar a remoção de nutrientes de esgotos, visando a produção de água com elevado grau de pureza e o aproveitamento do concentrado rico em nutrientes como adubo líquido. Para isso, serão aplicadas membranas de nanofiltração e osmose inversa no pós-tratamento de efluente de reator biológico, para produção dos permeados e concentrados para posterior análise físico-química. As eficiências de remoção de nutrientes nas membranas serão avaliadas de acordo com a retenção esperada pelo fabricante para cada membrana. Paralelamente, os concentrados serão comparados com a legislação que dispõe sobre as garantias e tolerâncias quanto às concentrações dos nutrientes que um fertilizante líquido comercial deve conter, e assim sua viabilidade será analisada. Espera-se que o concentrado da nanofiltração seja mais viável do que o da osmose inversa, já que ele conterá todo o fósforo da alimentação, parte do nitrogênio, mas a salinidade não será tão alta quanto a do concentrado da osmose inversa, que é capaz de remover os íons monovalentes responsáveis pela salinização e por isso pode trazer prejuízos ao crescimento e desenvolvimento de vegetais.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 376.950.452-68 - ANDRE LUIS CALADO ARAUJO - IFRN
Presidente - 346736 - CICERO ONOFRE DE ANDRADE NETO
Interno - 1759924 - HELIO RODRIGUES DOS SANTOS
Notícia cadastrada em: 26/05/2015 13:55
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2020 - UFRN - sigaa27-producao.info.ufrn.br.sigaa27-producao