Banca de DEFESA: ALINE DO VALE FIGUEIREDO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ALINE DO VALE FIGUEIREDO
DATA: 08/05/2015
HORA: 09:00
LOCAL: SALA DE AULA DO PREDIO DO LARHISA
TÍTULO:

INFLUÊNCIA DE EVENTOS HIDROLÓGICOS EXTREMOS NA QUALIDADE DA ÁGUA DE RESERVATÓRIOS NA REGIÃO TROPICAL SEMIÁRIDA


PALAVRAS-CHAVES:

Chuva Intensa; Seca Severa; Variáveis Limnológicas; Regime Hidrológico.


PÁGINAS: 36
GRANDE ÁREA: Engenharias
ÁREA: Engenharia Sanitária
RESUMO:

Reservatórios são ecossistemas artificiais, intermediários entre rios e lagos, apresentando características morfométricas e hidrológicas distintas. No Nordeste brasileiro, em especial na região semiárida, as secas de 1825, 1827 e 1830 marcaram o início da construção de reservatórios, comumente chamados de “açudes” e foi vital para a ocupação e desenvolvimento de atividades econômicas, capaz de aumentar a resistência do homem à seca. Entretanto, a utilização dessa água para abastecimento humano, dessedentação de animais, lazer, produção agrícola irrigada e desenvolvimento da piscicultura, influenciam diretamente no aumento do carregamento de nutrientes para os ambientes aquáticos e, consequentemente, contribuem para a aceleração da eutrofização. Os fatores climáticos e hidrológicos também desempenham papéis importantes nas características limnológicas da água. Além disso, modelos de mudanças climáticas globais estão prevendo a maior ocorrência de eventos extremos (chuvas intensas e seca severa), que criará estresses hidrológicos em lagos. No semiárido nordestino já se percebe a ocorrência desses eventos, a seca dos anos de 2012, 2013 e 2014 foi a pior seca dos últimos 60 anos, segundo a Agência Nacional de Águas (ANA).  Sendo assim, o presente trabalho teve como objetivo avaliar a qualidade da água de mananciais do semiárido tropical, identificando padrões temporais em períodos com eventos hidrológicos extremos (chuva intensa e seca prolongada). Os resultados mostraram que, de forma geral, os mananciais de abastecimento Gargalheiras e Cruzeta apresentaram melhores condições na qualidade da água no período chuvoso, com melhora no aspecto visual e na maioria das variáveis da qualidade da água, e decaimento da qualidade no período de seca severa, com maiores concentrações de nutrientes e elevados valores de condutividade elétrica. Entretanto, constatou-se um comportamento de Cruzeta distinto do de Gargalheiras e atípico para a maioria dos reservatórios no semiárido, os quais, principalmente nos períodos de seca, apresentam elevadas concentrações de biomassa algal, indicativo de eutrofização acelerada. Este fato se deu principalmente pela baixa profundidade e, consequentemente, proximidade com o sedimento facilitar a característica túrbida em toda a coluna d’água em decorrência da ressuspensão de sólidos inorgânicos. 


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 074.319.378-49 - ARTHUR MATTOS - UFRN
Externo à Instituição - EDUARDO VON SPERLING - UFMG
Externo à Instituição - ODETE ROCHA - UFSCAR
Presidente - 1764855 - VANESSA BECKER
Notícia cadastrada em: 24/04/2015 09:04
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2020 - UFRN - sigaa15-producao.info.ufrn.br.sigaa15-producao