Banca de DEFESA: PRICILA MEIRELLES MONTEIRO DOS SANTOS

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: PRICILA MEIRELLES MONTEIRO DOS SANTOS
DATA: 27/02/2015
HORA: 16:30
LOCAL: SALA DE AULA DO PREDIO DO LARHISA
TÍTULO:

RECUPERAÇÃO DE FÓSFORO DE PERCOLADOS DE LODO DE ESGOTO POR PRECIPITAÇÃO DE ESTRUVITA EM REATOR DE LEITO FLUIDIFICADO


PALAVRAS-CHAVES:

remoção de fósforo; estruvita; reator de leito fluidificado com recirculação interna de sementes.


PÁGINAS: 38
GRANDE ÁREA: Engenharias
ÁREA: Engenharia Sanitária
SUBÁREA: Saneamento Ambiental
RESUMO:

A descarga de compostos contendo fósforo é um dos principais fatores que contribuem para a eutrofização de corpos hídricos superficiais. O potencial de aproveitamento do fósforo do esgoto como fertilizante tem levado ao desenvolvimento de pesquisas. Diversos estudos apontam a estruvita como uma alternativa viável e eficiente de remoção de fósforo, pois é um potencial fertilizante natural, com considerável valor econômico agregado. Liu et al. (2008) propuseram um reator que permitia a recirculação dos cristais de estruvita e o stripping do CO2, denominado reator com reciclagem interna de sementes. No entanto não foram realizados testes com percolados reais de esgoto no sistema proposto. O presente estudo tem o objetivo de investigar a aplicabilidade do reator de leito fluidificado com recirculação interna de sementes (RLFRIS) (proposto por Liu et al., 2008) para remoção de fósforo por precipitação de estruvita a partir do percolado de lodo de esgoto de uma ETE em escala plena (ETE do Baldo). Para tanto, inicialmente investigou-se as condições mais adequadas para sedimentação e formação dos cristais de estruvita em reator de batelada (jar test). A partir desses resultados, foram determinadas as taxas de aplicação superficial e tempo de detenção hidráulica a ser empregados no RLFRIS para a remoção de fósforo por precipitação de estruvita. Em geral, a sedimentação em Jar test foi vantajosa na eficiência de remoção de turbidez e fósforo em torno de 89% e 73% respectivamente. As remoções de fósforo e magnésio em concentrações iniciais P [100mg/L] no RLFRIS com percolado sintético e percolado de lodo tiveram valores (76% e 73% respectivamente). Já o ensaio no RLFRIS com percolado sintético com P [200mg/L] removeu 91% fósforo, e 73% magnésio. Contudo podemos concluir que o RLFRIS se mostrou eficiente na remoção dos compostos e provável precipitação de cristais de estruvitA.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1759924 - HELIO RODRIGUES DOS SANTOS
Interno - 376.950.452-68 - ANDRE LUIS CALADO ARAUJO - IFRN
Interno - 1662859 - KARINA PATRICIA VIEIRA DA CUNHA
Externo ao Programa - 201.758.924-15 - MARCO ANTÔNIO CALAZANS DUARTE - IFRN
Notícia cadastrada em: 25/02/2015 16:33
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2020 - UFRN - sigaa15-producao.info.ufrn.br.sigaa15-producao