Banca de DEFESA: HILDERICA LIMA CAMPOS

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: HILDERICA LIMA CAMPOS
DATA: 09/02/2015
HORA: 08:00
LOCAL: SALA DE AULA DO PREDIO DO LARHISA
TÍTULO:

CARACTERIZAÇÃO DE RESÍDUOS LÍQUIDOS GERADOS EM ESTAÇÕES DE TRATAMENTO DE ÁGUA


PALAVRAS-CHAVES:

 Estação de Tratamento de Água; Resíduos; Água de Lavagem de Filtros.

 


PÁGINAS: 65
GRANDE ÁREA: Engenharias
ÁREA: Engenharia Sanitária
RESUMO:

O tratamento de água para abastecimento é considerado como um grande benefício tendo em vista que, se for realizado de forma eficiente, propicia saúde às pessoas. Entretanto, ao considerar que uma ETA (Estação de Tratamento de Água) é uma indústria, pois em seu processo produtivo há insumos e resíduos, é necessário que haja avaliação e monitoramento constantes em cada ETA para verificar a melhor e mais adequada maneira de tratar e dispor seus resíduos, minimizando, portanto, os potenciais impactos ao meio ambiente. Os resíduos mais relevantes em ETA de filtração rápida são os provenientes das águas de lavagem de filtros. A realidade mais observada em nosso país é o lançamento destes resíduos (sem tratamento) em mananciais, os quais são utilizados, na maioria das vezes, como fonte de abastecimento de uma população mais a jusante. O presente estudo avaliou parâmetros quantitativos e qualitativos de água de lavagem de filtros em três ETA  - Itaitinga, Maranguape e Pacatuba – CE. Das ETA estudadas, verificou-se que a ETA Maranguape, em termos de capacidade instalada, é a de maior porte. A ETA Itaitinga é a que mais consome água na lavagem de filtros. A ETA Pacatuba exibiu maior concentração de sólidos sedimentáveis e suspensos totais, além de DQO e alumínio na água de lavagem dos filtros. Vale salientar que os parâmetros sólidos sedimentáveis e SST de todas as ETA estão fora do padrão de lançamento de efluentes em corpo aquático preconizado pela resolução 154/2002 da SEMACE (Superintendência Estadual do Meio Ambiente do Ceará). Conclui-se que a água de lavagem dos filtros das ETA em estudo ultrapassa os valores permitidos em legislação para serem descartados diretamente em manancial. Sugere-se como alternativa de tratamento de resíduos, a construção de lagoas de sedimentação de lodo e ainda como forma de reaproveitamento da água o processo de recirculação.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 376.950.452-68 - ANDRE LUIS CALADO ARAUJO - IFRN
Interno - 346736 - CICERO ONOFRE DE ANDRADE NETO
Externo à Instituição - FERNANDO JOSÉ ARAÚJO DA SILVA - UFC
Externo à Instituição - MARCO ANTÔNIO CALAZANS DUARTE - IFRN
Notícia cadastrada em: 04/02/2015 09:50
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2020 - UFRN - sigaa24-producao.info.ufrn.br.sigaa24-producao