Banca de QUALIFICAÇÃO: JOSEANE DUNGA DA COSTA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: JOSEANE DUNGA DA COSTA
DATA: 07/04/2014
HORA: 10:30
LOCAL: SALA DE AULA DO PREDIO DO LARHISA
TÍTULO:

EVOLUÇÃO ESPAÇO-TEMPORAL EM ZONAS URBANAS COSTEIRAS


PALAVRAS-CHAVES:

morfodinâmica urbana, uso e ocupação do solo, geoprocessamento, remanescentes de dunas, preservação ambiental.


PÁGINAS: 25
GRANDE ÁREA: Engenharias
ÁREA: Engenharia Sanitária
RESUMO:

A morfodinâmica da paisagem pode ser usada como um indicador para verificar a intensidade e importância das mudanças exercidas pelas pressões antrópicas sobre o meio ambiente ao longo do tempo, principalmente em cidades costeiras que sofrem expansão acelerada, inclusive as que possuem forte apelo turístico, o que favorece o mercado imobiliário, visando o interesse pelas praias, estuários, rios, lagoas, dunas, mangues e restingas. Portanto, o uso e a ocupação inadequada de certas áreas urbanas (que devem ser protegidas por Lei), em especial, as matas ciliares, cobertura vegetal presente ao longo dos cursos d’água, as quais desempenham papel como reguladoras do fluxo hídrico e protetoras do ambiente natural; e as dunas, que garantem a rápida recarga de aquíferos subterrâneos; consideradas estas Áreas de Preservação Permanente (APP’s) conforme o Novo Código Florestal Brasileiro (Lei de nº 12.651/12) e Código de Meio Ambiente do Município (Lei 4.100/92); devem ser intocáveis, já que a sua interferência pode reduzir a qualidade e quantidade dos recursos hídricos, a estabilidade geológica e a biodiversidade urbana. Este trabalho visa identificar e caracterizar os impactos da expansão urbana nas APP’s da cidade do Natal em uma escala geral, com ênfase nas que estão inseridas na região entre os bairros Pitimbu, Candelária, Neópolis e Ponta Negra, ambos na Zona Sul, por meio de ferramentas de geoprocessamento no período entre 1969 a 2013. Para isto serão usadas fotografias aéreas e imagens de satélite, dados altimétricos digitais, além de informações prévias já utilizadas por outros autores. Com o banco de dados espaciais e mapas temáticos gerados, espera-se apresentar um diagnóstico da situação ambiental e estado de conservação, ao longo dos últimos 40 anos, dos sistemas frente às pressões antrópicas, bem como subsidiar um conjunto de procedimentos que visem à preservação e recuperação dos remanescentes de lagoas, dunas e das margens do rio Pitimbu presentes na área estudada, imprescindíveis à tomada de decisão, de órgãos gestores no planejamento urbano e ambiental do município, especialmente.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 350827 - RICARDO FARIAS DO AMARAL
Interno - 1284389 - MARIA DEL PILAR DURANTE INGUNZA
Externo à Instituição - PAULO CESAR MOURA DA SILVA - UFERSA
Notícia cadastrada em: 01/04/2014 15:13
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2020 - UFRN - sigaa10-producao.info.ufrn.br.sigaa10-producao