Banca de DEFESA: ANGELA MARILIA FREITAS GALVAO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ANGELA MARILIA FREITAS GALVAO
DATA: 31/03/2014
HORA: 14:00
LOCAL: SALA DE AULA DO PREDIO DO LARHISA
TÍTULO:

A COMUNIDADE ZOOPLANCTÔNICA COMO BIOINDICADORA DO ESTADO TRÓFICO DE RESERVATÓRIOS DA REGIÃO SEMIÁRIDA TROPICAL


PALAVRAS-CHAVES:

Eutrofização, índice biológico curvas ABC, manancial de abastecimento


PÁGINAS: 25
GRANDE ÁREA: Engenharias
ÁREA: Engenharia Sanitária
RESUMO:

A eutrofização dos ecossistemas aquáticos continentais e a consequente perda da qualidade da água são um dos maiores desafios deste século, comprometendo os usos múltiplos dos lagos e reservatórios no Brasil e no mundo . Devido suas peculiaridades, os reservatórios de regiões semiáridas constituem um grande desafio aos gestores de recursos hídricos pela sua maior vulnerabilidade ao processo de eutrofização. Estudos limnológicos voltados para a caracterização do estado trófico de reservatórios associados à identificação de comunidades biológicas, que possam servir como bioindicadores, são importantes para o monitoramento contínuo auxiliando na detecção precoce das alterações adversas e  geração de subsídios para ações de manejo e conservação. O presente trabalho teve como objetivo avaliar o potencial da comunidade zooplanctônica como bioindicadora do estado trófico de dois reservatórios da bacia do rio Piranhas-Açu, RN: Boqueirão de Parelhas e Passagem das Traíras. Foram realizadas amostragens mensais em ambos sistemas em dois pontos de amostragens (perto da barragem (P1) e próximo ao tributário principail (P2), durante o ano de 2012 (janeiro-dezembro). Medidas in situ foram realizadas das variáveis físicas e químicas (temperatura, pH, oxigênio dissolvido e condutividade elétrica da água), além das amostras de água do epilímnio para as de nutrientes   sólidos suspensos e clorofila-a e comunidade zooplanctônica. Foram analisadas a composição taxonômica, a densidade e a biomassa da comunidade zooplanctônica. Os seguintes indicadores fisico-químicos e biológicos foram utilizados: Indice de Estado Trófico, Curvas ABC e  Estatística W e a  Razão Calanoida/Cyclopoida. Os resultados evidenciaram que ambos reservatórios são rasos, polimíticos e quentes. O Boqueirão foi classificado como um sistema mesotrófico, enquanto Passagem das Traíras eutrofizado. Em ambos os reservatórios a comunidade zooplanctônica teve baixa riqueza de espécies e foi constituida por espécies tolerantes, de ampla distribuição geográfica, com dominância dos rotíferos Brachionus havanaensis, B. calycifloruse Keratella tropica; dos Copepodas Calanoida Notodiaptomus cearensis e N.iheringi; e Cyclopoida Thermocyclops decipiens, e dos cladóceros Daphnia gessneri (Boqueirão) e Moina micrura (Passagem das Traíras).  Dentre os indicadores biológicos as curvas ABC para o zooplâncton indicaram distúrbio moderado em ambos reservatórios, com a curva de biomassa acima da curva de densidade e valores da estatística W próximos a zero.  A razão Calanoida: Cyclopoida teve valores muito acima de 1,0 em todas as assembleias zooplanctônicas do reservatório Boqueirão. O mesmo se observou para o reservatório Passagem Traíras, exceto para o período de setembro - dezembro de 2012 quando os Cyclopoida dominaram e a razão Calanoida : Cyclopoida foi ligeiramente menor que 1,0 indicando início de distúrbios com mudanças na composição da comunidade. Assim foi possível concluir que os índices derivados da comunidade zooplanctônica são bons indicadores do estado trófico dos reservatórios estudados e podem ser utilizados para o monitoramento .  


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1345690 - ARTHUR MATTOS
Interno - 1764855 - VANESSA BECKER
Externo ao Programa - 1434166 - LUCIANA SILVA CARNEIRO
Externo à Instituição - ODETE ROCHA - UFSCAR
Notícia cadastrada em: 25/03/2014 08:29
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2020 - UFRN - sigaa01-producao.info.ufrn.br.sigaa01-producao