Banca de DEFESA: LORENA ALBUQUERQUE ADRIANO DA SILVA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: LORENA ALBUQUERQUE ADRIANO DA SILVA
DATA: 06/09/2013
HORA: 13:30
LOCAL: SALA DE AULA DO PREDIO DO LARHISA
TÍTULO:

SEPARAÇÃO DE CRISTAIS DE ESTRUVITA DE PERCOLADO DE LODO POR FLOTAÇÃO POR AR DISSOLVIDO.


PALAVRAS-CHAVES:

Estruvita; Flotação por ar dissolvido; Remoção biológica de fósforo; Percolado.


PÁGINAS: 25
GRANDE ÁREA: Engenharias
ÁREA: Engenharia Sanitária
RESUMO:

A remoção e recuperação de fósforo em Estações de Tratamento de Esgoto (ETEs) é uma opção para reduzir o seu lançamento em corpos d´água, permitindo a sua utilização na obtenção de outros produtos. Por sua vez, a remoção biológica de fósforo (RBF) apresenta-se como uma alternativa eficiente para realizar a remoção do fósforo presente em efluentes, evitando assim o excesso da produção de lodo e a aplicação de processos nos quais são utilizados produtos potencialmente tóxicos. A RBF possui como característica a produção de percolado de lodo rico em fósforo e outros elementos, que é reenviado ao início da planta de tratamento, elevando a concentração do fósforo. Este retorno pode ter como conseqüência a redução da eficiência do sistema, além de permitir a precipitação de materiais indesejáveis nas tubulações, o que resulta na formação de incrustações. Por sua vez, a precipitação de estruvita oferece como vantagem a obtenção de um produto economicamente viável, com fósforo, nitrogênio e magnésio em sua composição e biologicamente disponível para as plantas. Este processo necessita de condições ideais para que ocorra a precipitação, porém a dificuldade de atingir tais condições pode resultar em resistência na coleta de cristais durante o processo de sedimentação. Assim, em vez de buscar as melhores condições de precipitação, que em muitos casos não podem ser atingidas, propomos utilizar a flotação por ar dissolvido (FAD) como uma alternativa à sedimentação de partículas. A avaliação da aplicabilidade do processo de Flotação por Ar Dissolvido (FAD) a fim de separar os cristais de estruvita foi realizada em reatores em escala de bancada (jartest e flotateste). Observando-se que a FAD apresenta alta eficiência na separação de cristais de estruvita e consequentemente de fósforo.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 376.950.452-68 - ANDRE LUIS CALADO ARAUJO - IFRN
Interno - 346736 - CICERO ONOFRE DE ANDRADE NETO
Presidente - 1759924 - HELIO RODRIGUES DOS SANTOS
Externo à Instituição - MARIA DE LOURDES FLORENCIO DOS SANTOS - UFPE
Notícia cadastrada em: 28/08/2013 13:24
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2020 - UFRN - sigaa27-producao.info.ufrn.br.sigaa27-producao