Projeto Pedagógico do Curso

Com a formação acadêmica concluída, espera-se que os egressos estejam capacitados para:
• Interagir e agregar valor nos processos de geração, tratamento, apropriação e preservação da informação, em todo e qualquer ambiente.
• Processar a informação registrada em diferentes tipos de suporte, mediante a aplicação de conhecimentos teóricos e práticos de coleta, de processamento, de armazenamento e de difusão da informação.
• Trabalhar com fontes de informação de qualquer natureza, expressando criatividade, adaptação e flexibilidade.
• Atuar de forma colaborativa, entre várias áreas do conhecimento, objetivando estudar os processos de geração, de comunicação, de armazenamento e de uso da informação, além do planejamento e do desenvolvimento de produtos e serviços de informação.
• Atuar no contexto local e regional a partir das necessidades de organização da documentação.
• Tomar decisão e ser proativo no seu ambiente de trabalho.
• Atuar em prol da construção de conhecimentos e do acesso à informação, visando a sua democratização.
• Observar padrões éticos de condutas, levando em consideração os direitos e deveres dos cidadãos.
• Agir de forma reflexiva e crítica, atentos ao compromisso social inerente à profissão.
• Atualizar de forma contínua os conhecimentos adquiridos na formação.
• Realizar pesquisas no âmbito da Biblioteconomia e Ciência da Informação.

A formação do bibliotecário compreende o desenvolvimento de determinadas competências e habilidades e o domínio dos conteúdos da Biblioteconomia. Entende-se que o egresso deve estar preparado para enfrentar, com proficiência e criatividade, os problemas oriundos de sua prática profissional. De acordo com as Diretrizes Curriculares Nacionais para o Curso de Biblioteconomia – Parecer CNE/CES 492/20016; Diretrizes para a
Construção de Indicadores de Qualidade para a Avaliação de cursos de Graduação de Biblioteconomia e Ciência da Informação (2002)7 e Código de Ética do Bibliotecário (2002)8, pode-se compilar as seguintes competências,
habilidades e atitudes:
• Refletir criticamente sobre a realidade que os envolve;
• Buscar aprimoramento contínuo e observar padrões éticos de conduta, bem como ser capaz de atuar junto às instituições e serviços que demandem intervenções de natureza e alcance variados.
• Capacitar para atuar em nível de planejamento, de administração, de assessoria e da prestação de serviços em redes e sistemas de bibliotecas, em centros de documentação e/ ou serviço de informação.
• Compreender as diferentes concepções filosóficas sobre o conhecimento.
• Entender e interagir no ambiente sociopolítico e econômico em que está inserido.
• Criar, desenvolver, utilizar as técnicas de coleta, de tratamento, da recuperação e da disseminação da informação.
• Integrar os diferentes grupos profissionais.
• Ter capacidade para desenvolver atitudes proativas.
• Desenvolver ações pedagógicas e de pesquisa.

Desenvolver e executar atividades culturais e programas de leitura.

• Desenvolver habilidades inerentes do profissional autônomo.
• Refletir criticamente sobre ética e prática profissional.
• Gerenciar unidades, recursos, serviços e sistemas de documentação e informação.
• Preservar e conservar o patrimônio documental de pessoas e instituições.
• Gerar produtos a partir dos conhecimentos adquiridos e divulgá-los.
• Formular e executar políticas institucionais.
• Elaborar, coordenar, executar e avaliar planos, programas e projetos.
• Utilizar racionalmente os recursos disponíveis.
• Desenvolver e utilizar novas tecnologias.
• Traduzir as necessidades de indivíduos, de grupos e de comunidades
nas respectivas áreas de atuação.
• Desenvolver atividades profissionais autônomas, de modo a orientar, dirigir, assessorar, prestar consultoria, realizar perícias e emitir laudos técnicos e pareceres.
• Responder a demandas sociais de informação produzidas pelas transformações tecnológicas que caracterizam o mundo contemporâneo.
• Interagir e agregar valor dos processos de geração, de transferência e de uso da informação, em todo e qualquer ambiente.
• Criticar, investigar, propor, planejar, executar e avaliar recursos e produtos de informação.
• Realizar pesquisas relativas a produtos, processamentos, transferências e usos da informação.
Essa alteração curricular, além de garantir um retorno mais eficiente e eficaz dos conhecimentos requeridos pela própria sociedade, tem como objetivo permitir com que os alunos possam escolher seu caminho, sua trajetória de formação segundo seus próprios interesses. Todavia, essa escolha é norteada, não sendo algo sem direção, mas uma via em que ele se torna co-responsável pela construção do seu percurso, tendo como um aliado a
figura do professor orientador-acadêmico. Essa flexibilização alinha-se com a proposta da Universidade Federal do Rio Grande do Norte, em prol de uma  formação de excelência, buscando garantir a construção de uma sociedade

justa, livre e igualitária.

Para que o Projeto Pedagógico do Curso de Biblioteconomia seja executado de forma eficiente, buscou-se construí-lo com bases sólidas a partir de uma autoavaliação entre docentes, discentes, coordenados pela Pró-Reitoria de Planejamento (PROPLAN/UFRN) ocorrida em 2014. A partir disso, foi possível aprimorar os pontos fortes e reajustar pontos fracos, atualizando assim, as disciplinas e as atividades complementares (Apêndice C) que compõem a estrutura curricular.
Tomando como referência a tríade da Universidade: ensino, pesquisa e extensão, a formação do aluno, para além da sala de aula, acontece através da participação do discente como pesquisador aprendiz em projetos e ações de
extensão e de pesquisa. Os projetos de extensão buscam aliar a teoria à prática, desenvolvendo no aluno a consciência social e prática, fundamental para a formação como bibliotecário. Através da base de pesquisa “Informação na Sociedade Contemporânea”, os docentes desenvolvem, em parceria com alunos (bolsistas remunerados e voluntários), projetos que enriquecem a reflexão sobre a área de Biblioteconomia e fortalecem a iniciação científica entre os discentes.
Outro aspecto da formação do aluno de Biblioteconomia vem através da sua interação com o mercado de trabalho. Isso é possível através dos estágios curriculares: obrigatório e não obrigatório, pois constituem instrumentos
privilegiados para associar desempenho e conteúdo de forma sistemática e permanente.
O estágio curricular não obrigatório visa integrar o aluno ao meio profissional, possibilitando as aprendizagens sociais, profissionais e culturais, em termos de aprendizado prático, aperfeiçoamento técnico-cultural, científico
e de relacionamento humano e ainda procurar oportunizar o exercício prático, motivando o aluno na aplicação dos conhecimentos recebidos no curso. Esta atividade de cunho complementar é oferecida através do componente curricular optativo CIN5004 – ESTÁGIO NÃO OBRIGATÓRIO, podendo ser desenvolvido pelo aluno regularmente matriculado e que frequente efetivamente o curso de Biblioteconomia da UFRN, conforme o regulamento de ensino, a ser realizado mediante a celebração de Termo de Compromisso de Estágio com instituições conveniadas no setor de estágios (PROGRAD/UFRN).

Já o estágio curricular obrigatório é oferecido pela Coordenação do Curso de Biblioteconomia, perfaz um total de 270 horas e acontece nas instituições conveniadas com a UFRN e contatadas previamente pela coordenação do curso.

O aluno poderá desenvolver atividades acadêmicas complementares, divididas em três categorias: Atividades didáticas, de pesquisa e de extensão. Essas atividades tem o objetivo de proporcionar ao discente a oportunidade de vivenciar em vários aspectos a vida acadêmica, desenvolvendo habilidades e competências através de ações extraclasses, a exemplo de: Monitorias; Participação em Colegiados; Representantes de Centros Acadêmicos;
Participação em eventos acadêmicos (local, nacional ou internacional); Estágios; dentre outras, todas pertencentes às categorias mencionadas anteriormente, de ensino, pesquisa ou extensão. Essas atividades contabilizam
um total de 90 horas aula para a formação do aluno.
Outra vertente de atuação dos docentes do DECIN, que envolvem alunos semestralmente, diz respeito ao Núcleo Temático da Seca (Nut-Seca). Este Centro de Documentação, vinculado ao CCSA/UFRN se caracteriza como
laboratório natural de ensino, pesquisa e extensão. A direção e vice direção do Nut-Seca reinteradas vezes está a cargo de docentes do DECIN, oportunizando assim, sua utilização em ações práticas e reflexivas. A integração entre os níveis acadêmicos é uma forma de incentivar os alunos a perceberem que a formação não finaliza com a conclusão do curso de graduação. Nesse sentido, os docentes pertencentes ao Departamento de Ciência da Informação atuam em cursos lato sensu, através do aperfeiçoamento e especialização, os quais absorvem em grande parte, egressos da graduação em Biblioteconomia, imprimindo assim, qualidade e continuidade à formação do nosso aluno. Em outro âmbito stricto sensu, os docentes atuam no Programa de Pós-Graduação em Gestão da Informação e do Conhecimento, através do mestrado profissional, que mesmo não absorvendo diretamente egressos da graduação (por ser oferecido através de convênio com instituições), há influência direta na qualificação dos graduandos, ao participarem em projetos oriundos das pesquisas desenvolvidas pelos docentes, em que absorvem tanto alunos da pós-graduação, quanto alunos bolsistas e voluntários da graduação. Isso reforça como tratado anteriormente, a formação do pesquisador aprendiz, oriundo da iniciação científica.

Por fim, percebe-se a importância de manter periodicamente a qualidade desde PPC, cabendo ao Colegiado do Curso de Biblioteconomia, acompanhar a execução, desenvolvimento e resultados desse projeto, possibilitando ajustes necessários ao longo da formação acadêmica do aluno.

A avaliação do Projeto Pedagógico de Curso será realizada pelo Núcleo Docente Estruturante (NDE), e posteriormente analisado e aprovado pelo Colegiado de Curso. O NDE terá a função de avaliar periodicamente aspectos da execução do PPC à luz das informações disponíveis, (resultados de atividades organizadas pela Comissão Própria de Avaliação da UFRN, de avaliação de disciplinas, da avaliação do docente pelo discente, seminários de avaliação do curso, resultados do ENADE, etc.). Com o objetivo de oferecer ao  Colegiado do Curso pareceres e sugestões visando o aprimoramento do PPC, este será revisto a cada 03 (três) anos a partir da data da sua implantação.

A avaliação da aprendizagem será realizada de acordo com o Regulamento dos Cursos de Graduação da UFRN (UFRN, 2013, p. 17), e que o Curso de Biblioteconomia se adequa em sua totalidade.
Pretende-se realizar a avaliação do curso, por meio de encontros semestrais utilizando para tal a semana pedagógica, com a participação dos docentes do DECIN e de Departamentos que ofertam disciplinas para o curso
de Biblioteconomia, ocasião em que serão discutidos os resultados das avaliações realizadas, visando um posicionamento conjunto do corpo docente
do curso.
Vale destacar que nessa avaliação será levada em consideração as recomendações ABECIN na qual se realiza encontros anuais, primeiramente em avaliações regionais e posteriormente em encontro nacional dos Cursos de
Graduação em Biblioteconomia e Ciência da Informação. Ademais das avaliações internas, destaca-se as avaliações externas a que estão sujeitos os cursos de graduação, como por exemplo, as avaliações periódicas realizadas
pelo Ministério da Educação (MEC), Instituto de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP) e Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (SINAES).

Baixar Arquivo
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2021 - UFRN - sigaa05-producao.info.ufrn.br.sigaa05-producao