Apresentação

O Curso de Pedagogia da UFRN, reconhecido desde abril de 1976, é uma licenciatura que visa formar o Pedagogo, isto é, o profissional do processo educativo que tem na docência a base de sua identidade profissional.
O processo educativo é entendido como uma rede de relações educacionais (formais e não-formais; escolares e não-escolares) em uma dinâmica que envolve dimensões geral e particular como espaços que se complementam sem deixar de preservarem suas características próprias.
A compreensão, a organização e a gestão dessa rede de relações enquanto processos desenvolvidos pelo educador, no âmbito de sistemas educacionais, da escola, da sala de aula ou de outros espaços educativos, baseiam-se em fundamentos teórico-científicos das diversas áreas do conhecimento que fundamentam a ação docente.
Portanto, assumir a docência – trabalho pedagógico – como base da formação do educador implica definir um conjunto de SABERES específicos/próprios à ação educativa na qual o processo de ensino-aprendizagem e sua gestão, pautados e desenvolvidos na pesquisa, se constituem na essência do fazer do Pedagogo.  São esses conhecimentos que constituem a proposta curricular do curso de Pedagogia.
Mas, não foi sempre assim. Na busca de atender às demandas de cada momento histórico da sociedade em relação a esse profissional, o curso já passou por várias reformulações em sua organização, tanto em nível nacional, como em nível local.
Nos anos setenta e oitenta, cumprindo as definições impostas pela reforma do ensino da década de setenta, o Curso de Pedagogia visava formar, não o professor – o docente – mas, o especialista, com habilitações de Orientação Educacional, Supervisão Educacional e Administração Educacional. Essas habilitações sofrerem críticas contundentes, tanto em relação à sua formação, quanto à sua prática. Segundo essas críticas, embora a formação conferisse certa competência técnica ao especialista, não o capacitava para uma compreensão mais crítica da realidade educacional, nem para uma ação coletiva na perspectiva de construção de um projeto político-pedagógico no interior dos sistemas de ensino, restringindo-se suas práticas ao cumprimento de funções burocráticas orientadas por uma concepção mecanicista do processo de ensino-aprendizagem.
A insatisfação nacional com o desempenho desses profissionais fez emergir uma ampla discussão sobre a formação pertinente ao pedagogo e à educação. Nessa discussão tiveram papel importante, em nível nacional, a ANFOPE – Associação Nacional pela Formação dos Profissionais da Educação, o CONSED – Conselho Nacional de Secretários de Educação e, em nível local, a Pró-Reitoria Acadêmica, os alunos do Curso de Pedagogia, o Colegiado do Curso, o Sindicato dos Trabalhadores da Educação, o Sindicato das Escolas Particulares, entre outros.
Essas discussões apontaram a necessidade de uma reformulação curricular que privilegiasse a relação entre o contexto sócio-econômico-político e educação. Assim, reconhecia-se que a formação do pedagogo deveria capacitá-lo, tanto para a compreensão da dinâmica das contradições sociais e de suas repercussões nos sistemas educativos, como para uma compreensão e atuação sobre os processos de ensino-aprendizagem. Portanto, esta formação deveria ter a docência, o ensino, como base, mas não limitar-se a ela, ampliando-a para uma compreensão acerca dos vários fatores que interferem na instituição educativa, integrando a gestão pedagógica e a administrativa.
Foi nessa perspectiva que o Curso, tal como funciona atualmente, foi pensado e implantado a partir de 1994. Nessa proposta busca-se possibilitar:
a) uma “sólida formação geral que se alicerça na compreensão das ciências que tratam da educação nas suas relações com o contexto e a partir das quais se busca referências metodológicas para o ensino nas séries iniciais do então Primeiro Grau”, hoje Ensino Fundamental, e de disciplinas pedagógicas no então Segundo Grau e hoje Ensino Médio;
b) “uma concentração de estudos através do agrupamento de disciplinas complementares em Núcleos Temáticos que reúnem estudos específcos em áreas de atuação profissional: Arte e Literatura; Coordenação Pedagógica; Educação de Jovens e Adultos; Educação Especial; Educação Infantil; Tecnologia Educacional”. (Currículo do Curso de Pedagogia, 1994, p. 6).
Portanto, a partir de uma base formativa ampla acerca da educação e da atuação pedagógica na Educação Básica, o aluno pode, segundo sua opção por uma área mais específica de atuação, aprofundar estudos nesse âmbito através de disciplinas complementares.
Além disso, o currículo visa orientar o aluno ao prosseguimento de seus estudos ao nível de pós-graduação, visto que pode consolidar suas aprendizagens através de uma investigação sistemática na forma de um trabalho monográfico orientado que se constitui como exigência para conclusão do curso.
Nessa perspectiva, o atual curso está organizado da seguinte forma: Núcleo Comum (disciplinas obrigatórias) – 11 voltadas aos Fundamentos da Educação, 07 voltadas à Prática Pedagógica na Escola e à Pesquisa Educacional e 17 voltadas às Teorias e Métodos para o Ensino. Além dessas, há o grupo de disciplinas dos Núcleos Temáticos, com disciplinas complementares específicas a serem escolhidas pelo aluno. Cada núcleo tem entre quatro e sete disciplinas. Complementando a formação, há as Disciplinas Complementares Comuns todas voltadas para sistematizações de estudos e à pesquisa (iniciação científica). Esse conjunto de disciplinas soma um total de 2.840 horas a serem cumpridas em um período mínimo de quatro anos e meio e máximo de sete anos. Semestralmente, o Curso oferta em torno de 50 disciplinas.
Atualmente, o Curso de Pedagogia da UFRN tem 1142 alunos matriculados. Desses, 800 estão cursando regularmente, sendo 399 no turno vespertino e 401 no turno noturno. A cada semestre, entre sessenta e oitenta alunos concluem o curso, ingressando em atividades predominantemente na área de educação.
Sobre essa estruturação curricular atual há o reconhecimento de que, embora ainda muito atual em seus princípios, encontra-se lacunar e superada em alguns aspectos diante das novas exigências do contexto sócio-cultural que vivemos.

Construindo uma nova Proposta Curricular para o Curso de Pedagogia

Diante das demandas educacionais que temos tido a partir das reformas legais que culminaram com a LDB 9394/96, com o novo perfil dos alunos ingressantes no curso de Pedagogia e com a emergência dos novos campos de atuação demandados pela sociedade atual, tanto em nível nacional, como local, o corpo docente e discente começa a sentir a necessidade de reformular o atual currículo do curso vigente desde 1994. Esse processo encontra-se em vias de finalização.
Frente o reconhecimento da importância do processo educativo na mediação da cultura historicamente construída, urge pensar a formação do Pedagogo como profissional que frente às especificidades de seus contextos de atuação – sistemas educacionais, escolas, salas de aulas ou outros espaços educativos – problematiza, articula e sistematiza os conteúdos culturais e, em especial, os conteúdos escolares em uma perspectiva de superação da disciplinaridade fechada, fragmentar e desarticulada.
A Identidade conferida-requerida ao Pedagogo na atualidade pressupõe, portanto, a elaboração de um novo “estilo cognitivo-afetivo em construção” que articula teoria e prática em situações diversas na perspectiva de compreensão crítico-científica dos problemas e de criação de estratégias de superação.
Visa-se, portanto, formar um Pedagogo que tenha, dentre suas principais tarefas, um exercício do qual a cultura escolar se distanciou: a busca cotidiana rigorosa e, ao mesmo tempo, o prazerosa, pelo conhecimento e o incitamento à criatividade, à imaginação. Para que isso faça parte do dia a dia da escola e de outros espaços educacionais, é preciso que o Pedagogo aceite e assuma, em suas práticas pedagógicas, uma “dinâmica de reconstrução dos métodos de ensinar e de aprender” que articule processos e resultados de forma integrada, inclusiva e emancipatória, em que, além do conhecimento, valores como a amizade, a cooperação, o respeito, a felicidade, a ética, a justiça, a honestidade dentre outros, sejam aprendidos à medida que vividos.
Nessa proposta curricular os Saberes Docentes apresentam-se como uma rede de relações que entrelaça elementos específicos das diversas áreas do conhecimento tendo em vista a construção do SER DOCENTE. Esses saberes assumem uma natureza epistemológica própria ao passarem por uma “transposição didática” na prática educativa em suas diversas áreas de Atuação.
De acordo com as discussões empreendidas e com as definições legais as áreas  que se constituem em foco da formação a ser promovida no Curso de Pedagogia na UFRN serão: Docência na Educação Infantil e sua Gestão; Docência nos Anos Iniciais do Ensino Fundamental (escolarização de crianças, Educação de Jovens e Adultos (EJA), Educação Especial, Educação Indígena e sua Gestão; Organização e gestão de sistemas educacionais em contextos escolares e não-escolares; Produção e difusão do conhecimento científico e tecnológico no campo educacional.
O Currículo em construção estrutura-se, portanto, em torno de uma formação, ao mesmo tempo, mais ampla e mais específica visando à autonomia formativa dos alunos-professores em um caminho a ser percorrido em oito/dez semestres letivos do Curso, totalizando uma duração média de quatro a cinco anos.
As disciplinas estão integradas em CAMPOS ARTICULADORES que expressam/compreendem a dimensão epistemológica, sócio-cultural e metodológica das áreas do conhecimento que fornecem fundamentação teórico-prática à atuação do profissional Pedagogo. Tais CAMPOS ARTICULADORES, em número de quatro (4), estão assim definidos: Ciências da Educação e Práticas Pedagógicas, Políticas e Gestão Educacional, A Escola e os Processos de Ensino e de Aprendizagem, A Pesquisa Educacional.
Objetivando alcançar uma articulação entre as dimensões teórica e prática do trabalho pedagógico desde o início do Curso e ao longo de suas 3200 horas de duração, estão sendo pensados os COMPONENTES CURRICULARES que são os caminhos/formas para o alcance dos objetivos específicos da formação do Pedagogo: Atividades Curriculares de Exercício Docente, Atividades Curriculares de Práticas Pedagógicas, Atividades Curriculares de Produção e Registro.

Estas experiências formativas que se almejam articuladas com as mais significativas demandas de nossa sociedade na atualidade, marcada por profundas desigualdades sociais, em que o acesso/integração a conhecimentos/práticas culturais sistematizados é, reconhecidamente, uma possibilidade de superação e onde a prática educativa é, por sua vez, reconhecidamente, mediadora fundamental desses conhecimentos e práticas. É nessa perspectiva que se organiza o Curso de Pedagogia da UFRN.  

Coordenação do Programa: MERCIA DE OLIVEIRA PONTES

Telefone/Ramal:

E-mail: Nenhum conteúdo disponível até o momento

Título do Profissional: Nenhum conteúdo disponível até o momento Área de Conhecimento CNPQ: Ciências Sociais Aplicadas Convênio Acadêmico : Nenhum conteúdo disponível até o momento Modalidade de Curso: Presencial
Calendário Fique por dentro dos eventos relacionados ao nosso Calendário Acadêmico.
  • 12/07/2017 - 17/07/2017 · Matrícula para o período 2017.2.
  • 24/07/2017 · Início do período letivo 2017.2.
  • 12/07/2017 - 17/07/2017 · Matrícula para o período 2017.2.
SIGAA | Superintendência de Informática - (84) 3215-3148 | Copyright © 2006-2017 - UFRN - sigaa07-producao.info.ufrn.br.sigaa07-producao