Apresentação

Na área da saúde, a enfermagem é, por definição uma ciência voltada para proporcionar e promover a saúde e o bem estar do ser humano. Todavia, o processo de cuidar está inerente a prática de todos os profissionais que atuam na área da saúde, o que requer dos mesmos preparo e capacitação para assistir os usuários com lesões dermatológicas atendidos nos serviços de saúde com qualidade, segurança e humanizada. Pelas próprias características dos diversos tipos de lesões, recorrência e sua cronicidade, as pessoas afetadas têm sua Qualidade de Vida (QV) afetada negativamente, o que faz da mesma um importante problema de saúde pública, exigindo tratamentos longos e complexos, com mudança no estilo de vida. Os custos de uma cicatrização são altíssimos, além disso, a lesão pode causar dor, depressão, baixa autoestima, déficits na autoimagem corporal, isolamento social, frustração, raiva, ansiedade, prejuízo na atividade sexual e limitações nas atividades de vida diárias, tornando perceptível o seu impacto aos âmbitos psicológico e socioeconômico. No Brasil, os primeiros cuidados de lesões acontecem prioritariamente na atenção primária à saúde, mais especificamente inseridos no conhecido modelo de Estratégia de Saúde da Família (ESF), o qual responsabiliza cada unidade de saúde pela prevenção e tratamento das lesões da população circunscrita ao território da unidade. Nesse contexto, o cuidado deve ser integral e baseado no âmbito familiar e comunitário, para além do indivíduo. A ESF também recebe o suporte da Política Nacional de Humanização (PNH), que objetiva estabelecer o cuidado humanizado, com um bom convívio e relação entre pacientes e profissionais de saúde. Todavia, o cuidado de lesões, especialmente as crônicas, no Brasil, vem se tornando especializado, de forma que há um déficit de preparo para lidar com este problema pelos enfermeiros generalistas que atuam na ESF, potencializado pelas múltiplas funções que os mesmos exercem neste ambiente. Comumente é possível observar o cuidado de pessoas com lesões crônicas e/ou complexas com foco exclusivo na lesão e no uso de tecnologias duras, com curativos que se renovam a cada dia no mercado. Pouco se trabalha em prevenção de complicações, prejuízos na QV e participação familiar. O tratamento não segue as evidências científicas, causando um prolongamento do tempo de lesão e diminuição da QV. Dentro deste cenário, a enfermagem tem um papel de destaque, pois além de ser a profissão com domínio para o cuidado de lesões crônicas, também deve estar preparada para atuar nos demais aspectos de vida afetados, fornecendo um cuidado holístico, em consonância com as políticas de saúde do país. Para isso, é importante que a atuação da enfermagem seja técnica, avançada e sistemática, promovendo a práxis do cuidado, que pode ser alcançado com a aplicação da Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE), a partir do Processo de Enfermagem (PE). Diante dessa percepção, nota-se que há uma necessidade dos enfermeiros atuarem com medidas que auxiliem as pessoas com lesões a conviverem de maneira mais saudável, mantendo-se mais ativos, com um cuidado voltado para além da ausência e/ou controle da lesão, sobretudo para um processo de mudanças que engloba bem-estar físico, mental e social. Entretanto, é de suma importância que as ações e intervenções de enfermagem sejam parte de um cuidado sistematizado, a partir do uso do PE, com embasamento científico, teórico e metodológico, proporcionando autonomia e reconhecimento da enfermagem. O conhecimento das teorias de enfermagem e da SAE pelos profissionais de enfermagem necessita ser impulsionado no cuidado das pessoas com feridas crônicas. No entanto, temos percebido, a partir da nossa vivencia profissional no ensino, na pesquisa, extensão e na assistência nos níveis primário, secundário e terciário, que os enfermeiros apresentam dificuldades teóricas e técnicas no processo de cuidar de pessoas com lesões de pele ou de atuar na prevenção. Considerando que os cuidados as pessoas com lesões e/ou sua prevenção é uma das atribuições do enfermeiro, e que durante a formação essa competência e habilidade ficam restritas a algumas disciplinas, em especial a Semiologia e Semiotécnica e práticas supervisionadas, vislumbramos a grande necessidade de formar especialistas na área de dermatologia, buscando minimizar essa lacuna da formação acadêmica do enfermeiro do Departamento de Enfermagem da Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Este projeto, portanto é uma resposta a uma grande necessidade dos enfermeiros e dos serviços de saúde do nosso Estado, e vem atender vem atender a demanda imediata a partir criação do Centro de Especializado Tratamento de Úlceras Crônicas (CETUC) do Município de Parnamirim/RN, tem a previsão cuidar de 750 pacientes lesionados que são assistidos na sua Rede Municipal de Saúde. Os benefícios econômicos e sociais alcançados pela população são imensuráveis se levarmos em consideração que os enfermeiros especialistas em dermatologia iram atuar com mais segurança na gestão do processo de cuidados as pessoas já lesionadas e/ou em risco de desenvolvê-las, bem como, estabelecimento de protocolos de assistência e qualificar os serviços de saúde para atender de forma resolutiva aos problemas dermatológicos da comunidade. Os resultados previstos da oferta do curso de especialização para nosso Estado podem ser vislumbrados, com a formação de novas turmas para atender a crescente demanda de especialista nessa área, bem como, passar integrar o Plano Geral de Gestão vigente da UFRN e sua missão de formar profissionais qualificados para intervir nos principais problemas de saúde população do nosso Estado e região. OBJETIVOS Geral: Capacitar enfermeiros na aplicação da Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE), a partir do Processo de Enfermagem (PE) no cuidado as pessoas com lesões e/ou sua prevenção, proposição de protocolo de cuidados, e análise de casos clínicos de lesões e proposta de intervenção para atuarem no planejamento, implementação e avaliação de assistência aos pacientes com lesões e suas manifestações clínicas. Específicos: Desenvolver o raciocínio clínico do enfermeiro no desenvolvimento de protocolo de cuidados, na escolha do melhor tratamento aos pacientes com feridas agudas, crônicas e complexas; Prestar assistência de enfermagem a pacientes com estomias, lesões por pressão, queimaduras, hanseníase, oncologia, lesão cirúrgica, lesão vascular de origem venosa, arterial ou mista, lesão oncológica e diabética; Proporcionar ao enfermeiro conhecimento, treinamento e habilidade para o planejamento do cuidado com esses pacientes lesionados ou em risco de desenvolver lesões; Proporcionar conhecimento para desenvolver protocolos de assistência nos serviços de saúde; Proporcionar conhecimento para desenvolver análise de casos clínicos e proposição de plano de cuidados na assistência nos serviços de saúde; Promover aplicação da Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE), a partir do Processo de Enfermagem (PE) no cuidado as pessoas com lesões e/ou sua prevenção; Proporcionar conhecimento e habilidade para desenvolver projetos de intervenções e relatórios de pesquisas, elaborar artigos científicos e divulgar os produtos em eventos e periódicos científicos.

Coordenação do Programa: GILSON DE VASCONCELOS TORRES

Telefone/Ramal: (84) 9998-73769

E-mail: gilsonvtorres@hotmail.com

Período do Curso: 02/08/2019 à 06/02/2021 Convênio Acadêmico : Nenhum conteúdo disponível até o momento Modalidade de Curso: Presencial Endereço Alternativo: https://sigaa.ufrn.br/sigaa/public/curso/portal.jsf?id=134355614&lc=pt_BR&nivel=L
Notícias Veja abaixo as noticias referentes ao nosso Curso.
SIGAA | Superintendência de Informática - (84) 3215-3148 | Copyright © 2006-2019 - UFRN - sigaa05-producao.info.ufrn.br.sigaa05-producao