/ - Telefone/Ramal:
Notícias > Banca de QUALIFICAÇÃO: RAFAEL CHAVES LIMA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : RAFAEL CHAVES LIMA
DATA : 29/09/2017
HORA: 14:00
LOCAL: Auditório do CCET
TÍTULO:

ZEÓLITA MORDENITA: UM ESTUDO SOBRE A FORMAÇÃO E O TAMANHO DOS CRISTAIS


PALAVRAS-CHAVES:

MORDENITA, ZEÓLITA, FORMAÇÃO, TAMANHO DE CRISTAL


PÁGINAS: 190
RESUMO:

Zeólitas são materiais que podem definidos como sólidos microporosos cristalinos cuja composição permite sua generalização como uma classe de silicatos complexos hidratados. Esse tipo de cristal tem sido estudado em demasia, sobretudo para aplicações catalíticas. Uma destas zeólitas, a mordenita, é de grande interesse industrial por sua aplicabilidade no campo da catálise, sendo uma zeólita com bom desempenho catalítico, além de ter sido sugerida para outras utilidades. Não obstante as zeólitas tenham bom desempenho catalítico, o tamanho restrito e a extensão de seus poros implicam em problemas de transferência de massa e dificulta a sua aplicação em casos de moléculas grandes demais para adentrar ou difíceis de difundir através dos poros. Dado o mote, muitos estudos de síntese de materiais porosos são dedicados ao problema de acessibilidade e muitas alternativas têm sido sugeridas e uma das alternativas sugeridas é o controle do tamanho dos cristais. Uma vez que a difusão intraporosa pressupõe um caminho, o qual as espécies em reação têm de percorrer até se fazerem livres ao meio reacional, o controle do comprimento dos canais zeolíticos é fator preponderante no desenho de zeólitas para serventias específicas. Nesta contextura, controlar o tamanho de cristal tem sido uma das proposições para governar o caminho difusional e melhorar a acessibilidade aos poros e é um dos novos focos da “engenharia zeolítica”. Em primeira instância, cristais nanométricos podem ser sintetizados em condições hidrotérmicas de forma semelhante às zeólitas convencionais. Entretanto, as investigações sobre síntese indicam que um cuidado suplementar deve ser imputado à preparação do gel precursor e às condições de cristalização de maneira que estas favoreçam a nucleação. Desta forma, no presente trabalho é proposto avaliar como as condições de síntese, reagentes e variáveis implícitas ao sistema de zeolitização influenciam o tamanho dos cristais de zeólita mordenita. As sínteses partiram de um padrão baseado no procedimento padrão IZA, a partir do qual foram avaliados parâmetros de condição de síntese, tempo, temperatura, teor e grau de pureza da água, teor de íons  alcalinidade, tempo de envelhecimento do gel e variação da fonte de silício observando-se seus impactos sobre o crescimento dos cristais bem como em sua morfologia. Os materiais foram caracterizados por difração de raios-X (DRX), microscopia eletrônica de varredura (MEV), espectroscopia de absorção na região do infravermelho vibracional com Transformada de Fourrier (FT-IR) e análise termogravimétrica (TG). Como resultado foi possível diminuir o tamanho dos cristais de mordenita através do controle da temperatura, do tempo, do teor de água, do teor de íons  e do tipo de fonte de silício. 


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1308577 - SIBELE BERENICE CASTELLA PERGHER
Externo ao Programa - 2302898 - ELEDIR VITOR SOBRINHO
Externo à Instituição - VINÍCIUS PATRÍCIO DA SILVA CALDEIRA - UERN

Notícia cadastrada em 29/09/2017 10:35  
SIGAA | Superintendência de Informática - (84) 3215-3148 | Copyright © 2006-2017 - UFRN - sigaa12-producao.info.ufrn.br.sigaa12-producao