Banca de DEFESA: CLÁUDIA MARIA COSTA DE OLIVEIRA - (Retificação)

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.

DISCENTE: CLÁUDIA MARIA COSTA DE OLIVEIRA

DATA: 10/12/2010

HORA: 08:30

LOCAL: Sala do CONSEC

TÍTULO:

MARCADORES NUTRICIONAIS E BIOIMPEDÂNCIA ELÉTRICA E SUA ASSOCIAÇÃO COM MORBI-MORTALIDADE EM HEMODIÁLISE


PALAVRAS-CHAVES:

DIÁLISE RENAL, DESNUTRIÇÃO PROTÉICA, INFLAMAÇÃO, MORTALIDADE, MORBIDADE


PÁGINAS: 60

GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde

ÁREA: Nutrição

RESUMO:

Introdução: A desnutrição protéico-calórica, o processo inflamatório sistêmico e os distúrbios metabólicos são freqüentes em pacientes com insuficiência renal crônica em terapia dialítica, contribuindo para a sua morbi-mortalidade.

Objetivos: Avaliar a correlação entre parâmetros nutricionais antropométricos, laboratoriais e de bioimpedância elétrica e marcadores inflamatórios com a morbi-mortalidade de pacientes em hemodiálise, bem como o impacto de suas alterações ao longo de 12 meses.

Material e Métodos: De desenho epidemiológico tipo coorte longitudinal, um grupo de 143 pacientes de um único centro de diálise no Brasil foi avaliado ao longo de 12 meses. Foram incluídos pacientes com mais de 3 meses de diálise, idade > 18 anos, sem amputação de membros, que pudessem responder ao questionário da avaliação subjetiva global (ASG). Os pacientes foram submetidos à avaliação clínica do estado nutricional (ASG), avaliação antropométrica (IMC, Percentual de peso ideal, CB, CMB, AMB, percentual de massa gorda e PCT), avaliação laboratorial (albumina, creatinina, hemoglobina, contagem de linfócitos, medida do ktv e nPNA como marcadores nutricionais e dosagem de PCR, IL-6 e TNF alfa como marcadores de inflamação) e avaliação por BIA (reactância, ângulo de fase e percentual de massa celular corporal) no início do estudo e após 3, 6 e 12 meses de seguimento. Foi pesquisada a associação entre as variáveis do estudo e os óbitos e hospitalizações em 12 meses. As variáveis com significância < 10% na análise univariada foram incluídas em um modelo multivariado de Cox de regressão logística.

Resultados: Foram 58% dos pacientes do sexo masculino, com idade média de 52.2 ± 16.6 anos e tempo médio em diálise de 5.27 ± 5.12 anos.A prevalência de desnutrição variou de 7.7 a 63.6%, de acordo com o marcador nutricional . As variáveis que associaram-se independentemente à morbi-mortalidade foram: óbito em 6 meses: hemoglobina ≤ 10.9 g/dl, creatinina ≤ 9.45 mg/dl, ângulo de fase ≤ 4.57 graus; óbito em 12 meses: IMC ≤ 23 kg/m2, idade ≤ 64,8 anos, Hb ≤ 10.9 g/dl e reactância ≤ 51,6 ohms; hospitalização em 6 meses: hemoglobina ≤ 10.9 g/dl e ângulo de fase ≤ 4.57 graus; hospitalização em 12 meses: IMC≤ 23 kg/m, ângulo de fase ≤ 4.57 graus e Índice de Charlson ≥ 4 .

Conclusão: Os melhores preditores de morbi-mortalidade quando avaliou-se em conjunto parâmetros antropométricos, laboratoriais, de BIA e inflamatórios foram o IMC, a hemoglobina, o ângulo de fase e a reactância. Os autores acreditam no potencial dos marcadores da BIA, podendo detectar alterações precoces (mesmo antes de alterações no IMC e exames de laboratoriais) e enfatizam que estudos longitudinais com maior número de pacientes em diferentes populações sejam implementados para confirmação destes dados e indicação posterior destes exames no seguimento nutricional dos pacientes em hemodiálise.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 262.775.733-49 - CARLOS ANTONIO BRUNO DA SILVA - UNIFOR
Externo ao Programa - 2549958 - LUCIA DANTAS LEITE
Externo à Instituição - PAULA FRASSINETTI CASTELO BRANCO - UECE
Externo à Instituição - SONIA LEITE DA SILVA - UNIFOR
Interno - 346268 - TECIA MARIA DE OLIVEIRA MARANHAO
Notícia cadastrada em: 10/12/2010 10:14
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2023 - UFRN - sigaa21-producao.info.ufrn.br.sigaa21-producao